Dólar fecha acima de R$ 3,47, maior valor em quase 6 meses

Divisa norte-americana acumula queda de 12% no ano

Por Agência Brasil*

Dólar fecha acima de R$ 3,47, maior valor em quase seis meses

Em mais um dia de turbulência no mercado financeiro, o dólar subiu e voltou a fechar no maior valor em quase seis meses. O dólar comercial encerrou esta sexta-feira (2) vendido a R$ 3,472, com alta de 0,1%. Foi a mais alta cotação desde 14 de junho (R$ 3,48). A divisa operou em queda durante a maior parte do dia, mas subiu perto do fim da sessão. Com o desempenho de hoje, a moeda norte-americana fechou a semana com alta de 1,7%, mas acumula queda de 12% em 2016.

O dólar subiu no dia em que executivos da Odebrecht assinaram o acordo de delação premiada. Depois de sete sessões sem intervir no mercado de câmbio, o Banco Central (BC) renovou contratos de swap cambial tradicional que venceriam em janeiro. Essa operação equivale à venda de dólares no mercado futuro e tem como objetivo conter a alta da moeda norte-americana. No cenário externo, o câmbio foi influenciado por dados do mercado de trabalho nos Estados Unidos, que apontaram taxa de desemprego de 4,6% em novembro, o menor nível em nove anos.

No mercado de ações, o dia foi de recuperação. Depois de ter registrado na quinta-feira (1 ) a maior queda diária em 10 meses, o Ibovespa, índice da Bolsa de Valores de São Paulo, fechou com alta de 1,3%, aos 60.316 pontos. As ações da Petrobras, as mais negociadas, subiram 2,4% (papéis ordinários, com direito a voto em assembleia de acionistas) e 2,5% (papéis preferenciais, com prioridade na distribuição de dividendos).

A recuperação dos Estados Unidos serve de estímulo para o Federal Reserve (Banco Central norte-americano) aumentar os juros da maior economia do planeta na próxima reunião do órgão, nos dias 13 e 14. Taxas mais altas nas economias avançadas atraem mais recursos para países desenvolvidos e estimulam a fuga de capitais em países emergentes, como o Brasil.

*Com informações da Prensa Latina.


leia também

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

Ação da Braskem segue quebrando recordes - Alta do dólar e queda dos preços do petróleo beneficiam empresa

Ações da Petrobras fecham abaixo de R$ 5 pela primeira vez em 13 anos - O Ibovespa encerrou o dia no menor nível desde março de 2009, no auge da crise do crédito imobiliário nos EUA

Agosto, o pior mês do ano para o Ibovespa - Bolsa acumula queda de 24,6% e dólar comercial totaliza alta de 33%

Ano novo, vida nova? Nem tanto - O cenário econômico brasileiro deve permanecer instável em 2016

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: