Queda do avião da Chapecoense comove o mundo

Imprensa afirma que o time elevou o orgulho de Chapecó

Por Agência Brasil*

Polícia colombiana confirma 76 mortos em avião da Chapecoense

O acidente com o avião que levava a delegação da Chapecoense para Medellín (Colômbia), comoveu o mundo. A tragédia mobilizou clubes de futebol como a imprensa internacional. Entre as equipes que se solidarizaram estão os gigantes espanhóis Real Madrid e Barcelona. Antes do início dos treinamentos dos times nesta terça, os atletas se reuniram no centro do gramado para prestar homenagem com um minuto de silêncio. Outra equipe a se manifestar foi o Benfica, de Portugal. Através de um comunicado oficial, o clube se prontificou a prestar auxílio. “Perante a tragédia que tocou uma vez mais o mundo do futebol, o Sport Lisboa e Benfica, de forma solidária, manifesta a sua disponibilidade para apoiar a Associação Chapecoense de Futebol na criação de condições para amenizar o sofrimento e superar a perda desportiva”, revela a nota.

Nos Estados Unidos, o “New York Times” destacou o fato.  “O time da Chapecoense aumentou o orgulho em Chapecó, uma cidade relativamente próspera com uma economia que depende da grande operação de empresas na área de alimentos”, diz a reportagem. O clube catarinense foi denominado como “um tipo de Cinderela de uma pequena cidade, que se juntou à primeira divisão do Brasil em 2014” pelo “Washington Post”. O britânico “Guardian” afirma que “esta deveria ter sido a semana mais gloriosa na história de um clube relativamente pequeno dentro do ecossistema do futebol brasileiro”. O “El País”, da Espanha, recordou que o clube passou por dificuldades financeiras antes de subir para a primeira divisão do futebol brasileiro em 2014. 

O “Marca”, da Espanha, fez uma homenagem ao jogador Cleber Santana, que jogou no Atlético de Madrid. “Jamais um conto de fadas teve um final mais trágico”, sublinha o diário esportivo em outra reportagem. A notícia lembra, também, que a Chapecoense saiu da série D para jogar sua primeira final internacional em somente sete anos. 

O acidente

A Aeronáutica Civil da Colômbia informou por volta de 17h (horário de Brasília, 14h no horário local) que 72 corpos já foram retirados dos destroços da aeronave que levava a delegação da Chapecoense. A entidade confirmou ainda que há 75 vítimas fatais no acidente e seis sobreviventes. Segundo divulgou nota, há 150 pessoas envolvidas na busca e resgate das vítimas que "trabalham continuamente para facilitar a recuperação dos corpos".

Entre as pessoas que estavam na aeronave, havia jogadores, dirigentes esportivos e jornalistas. O avião era um British Aerospace 146, gerenciado pela companhia boliviana Lamia. Ele teria desaparecido do radar e feito um pouso forçado, devido a uma falha elétrica, em Cerro Gordo, nas proximidades da cidade de La Unión. Fontes locais declaram que a aeronave estava a apenas cinco minutos de voo do aeroporto mais próximo, mas o piloto decidiu arriscar o pouso antes. A investigação do acidente tem duas linhas. Uma delas estuda uma possível pane seca. Outra cogita a hipótese que o piloto teria esvaziado os tanques de combustível para evitar uma explosão. 

Ao menos 22 jogadores da Chapecoense estavam no avião. Dos atletas, sobreviveram o goleiro Jackson Follmann e o lateral Alan Ruschel, além do zagueiro Neto. Alguns atletas não embarcaram com a delegação, como Neném, Hyoran, Martinucico, Nivaldo, Rafael Lima e Demerson, que não vinham sendo usados pelo técnico Caio Júnior, que também faleceu. Quatro pessoas que estão na lista oficial de passageiros do voo (reproduzida abaixo) não chegaram a embarcar. Eles são o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon; o presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense, Plínio David de Nes Filho; o presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), Gelson Merisio (PSD); e o jornalista da rádio Super Condá, de Chapecó, Ivan Carlos Agnoletto.

As vítimas do elenco são os laterais Giménez, Dener e Caramelo; os zagueiros Marcelo, Filipe Machado e Thiego; os meio-campistas Josimar, Gil, Sérgio Manoel, Matheus Biteco, Cleber Santana e Arthur Maia; e os atacantes Kempes, Ananias, Lucas Gomes, Tiaguinho, Bruno Rangel e Canela, além do goleiro Danilo.

Entre os 72 passageiros, além dos 22 jogadores, havia 18 membros da comissão técnica, oito da diretoria, três convidados, incluindo o presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim Peixoto Filho, e 21 representantes da imprensa, inclusive o ex-jogador e ex-técnico Mário Sérgio, comentarista dos canais Fox Sports.

Confira a lista de passageiros do voo:

Atletas:
1. Danilo
2. Gimenez
3. Bruno Rangel
4. Marcelo
5. Lucas Gomes
6. Sergio Manoel
7. Felipe Machado
8. Matheus Biteco
9. Cleber Santana
10. Alan Ruschel
11. William Thiego
12. Tiaguinho
13. Neto
14. Josimar
15. Dener
16. Gil
17. Ananias
18. Kempes
19. Follmann
20. Arthur Maia
21. Mateus Caramelo
22. Aílton Canela

Comissão técnica:
22. Caio Júnior
23. Duca
24. Pipe Grohs
25. Anderson Paixão
26. Anderson Martins
27. Dr. Marcio
28. Gobbato
29. Cocada
30. Serginho
31. Serginho
32. Adriano
33. Cleberson Silva
34. Maurinho
35. Cadu
36. Chinho di Domenico
37. Sandro Pallaoro
38. Cezinha
39. Giba

Diretoria:
40. Plínio D. de Nes Filho
41. Nilson Folle Júnior
42. Decio Burtet Filho
43. Edir de Marco
44. Ricardo Porto
45. Mauro dal Bello
46. Jandir Bordignon
47. Dávi Barela Dávi

Convidados:
48. Delfim Peixoto Filho
49. Luciano Buligon
50. Gelson Meisão

Imprensa:
51. Victorino Chermont
52. Rodrigo Gonçalves
53. Devair Paschoalon
54. Lilacio Júnior
55. Paulo Clement
56. Mario Sergio Paiva
57. Guilher Marques
58. Ari Júnior
59. Guilherme Laars
60. Giovane Klein
61. Bruno Silva
62. Djalma Neto
63. Adré Podiacki
64. Laion Espindula
65. Rafael Henzel
66. Renan Agnolin
67. Fernando Schardong
68. Edson Ebeliny
69. Gelson Galiotto
70. Douglas Dorneles
71. Jacir Biavatti

*Com Agência Ansa.

leia também

Aurora manifesta pesar pela Chapecoense - Cooperativa foi patrocinadora do time da cidade

Avião da Chapecoense estava com excesso de peso - Além disso, havia falhas no plano de voo da viagem

Bolívia culpa LaMia por acidente com Chapecoense - Processo também julgará piloto e diretores da agência de aviação civil do país

LaMia assume limite da capacidade de combustível - Diálogo entre piloto e torre reforça a hipótese

Marketing numa hora dessas? - Especialista acha que Chapecoense tem sido tímida em aproveitar comoção mundial. Será?

Medellín e Chapecó homenageiam vítimas da queda do voo - Aproximadamente 100 mil pessoas compareceram ao estádio Atanasio Girardot para lembrar jogadores e jornalistas

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: