Morador do Sul gasta cerca de meia hora até o trabalho

Os dados são da Pesquisa Mobilidade Alelo, em parceria com o Ibope

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Transporte urbano em Curitiba

Em média, 63% dos trabalhadores das principais capitais brasileiras demoram cerca de 40 minutos para se deslocarem de casa até o trabalho. Por ano, são seis dias e meio para chegar ao destino. Já a distância percorrida para 65% das pessoas não ultrapassa os 20 quilômetros – o que representa 5.280 quilômetros rodados por ano ou a distância entre Florianópolis (SC) e Boa Vista (RR). Os dados são da Pesquisa Mobilidade Alelo, realizada pela Alelo, empresa do setor de benefícios e cartões pré-pagos, em parceria com o Ibope. 

Porto Alegre é a capital na qual os trabalhadores perdem menos tempo no trânsito: a distância percorrida é de até 13,6 quilômetros e o tempo entre a casa e o trabalho fica em torno de 29 minutos. Já em Curitiba (foto), a média de quilômetros é de 13,7 quilômetros e são necessários 33 minutos. O gasto médio diário com transporte público para ir e vir do trabalho é de R$ 9,50. Os cariocas são os que desembolsam o maior valor para trabalhar: cerca de R$ 10,90, enquanto que os de Recife têm o menor gasto (R$ 7,90). 

A pesquisa Mobilidade Alelo ouviu 2.450 pessoas, com uma idade média de 36 anos e residentes em 9 capitais – São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Curitiba, Salvador, Brasília e Goiânia. Desse grupo, 65% trabalham em regime CLT e 35% são autônomos ou possuem outra forma de remuneração. 


leia também

Brasil registra deflação de 0,09% em agosto - Passagens aéreas ajudam a puxar queda do IPCA no mês

Brasileiro prefere mudar de emprego para ficar mais perto de casa - Pesquisa mostra trabalhadores de Porto Alegre e Curitiba como os menos dispostos à mudança

CNT revela defeitos na maioria das rodovias - Entidade calcula que seria necessário aportar R$ 292 bilhões na malha

Comil anuncia fechamento da unidade em Lorena - Fabricante de ônibus tomou a decisão devido à crise no setor

Comil entra com pedido de recuperação judicial - Queda de 60% na demanda por veículos foi a principal causa

Mobilidade elétrica em marcha lenta - Regulamentação e falta de estrutura freiam uso da tecnologia no Brasil

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: