De carona nas SUVs

Renault investe em novos modelos de utilitários para aumentar participação no mercado brasileiro

Por Laura D´Angelo

Renault investe em novos modelos de utilitários para aumentar participação no mercado brasileiro

Carlos Ghosn (foto), CEO da Renault, é um homem de palavra. Há dois anos, anunciou o investimento de R$ 500 milhões no mercado brasileiro, até 2019, em um programa que previa o lançamento de dois modelos. Mesmo com a marcha à ré do setor automotivo no país, ele cumpriu a promessa. E foi além. Primeiro, a montadora iniciou, no final de 2015, a fabricação do Duster Oroch, veículo que marca a entrada no segmento de picapes no Brasil. E, neste ano, confirmou a ampliação da linha de SUVs e a produção de mais dois modelos na fábrica de São José dos Pinhais (PR). O Captur e o Kwid devem chegar às concessionárias no início de 2017, assim como o Koleos, que será importado. 

Com os novos produtos, a Renault amplia a oferta de utilitários, classe de veículo cujas vendas têm sido menos impactadas pela crise, segundo Josias Silveira, editor da revista Top Cars. “A Renault está se armando nessa faixa média para cima [de preços], o que me parece correto. No momento em que o mercado voltar a crescer, ela estará preparada”, completa Silveira. 

Por enquanto, o mercado brasileiro – o segundo maior da Renault, atrás somente do francês – não tem correspondido, em vendas, à proporção de aportes que recebe da marca. Ghosn, porém, aposta no potencial de motorização, ainda bastante baixo no país. O índice de automóvel por habitante é quase três vezes menor do que na Europa e no Japão. 

Mesmo acumulando queda de receita e prejuízo no ano passado, a montadora continua avançando em market share. Em julho, detinha 7,6% do mercado brasileiro. A meta ambicionada por Ghosn é chegar a 8% no final de 2017. Será que ele cumprirá novamente a palavra? “A Renault está fazendo a lição de casa direitinho. Só falta o Brasil responder”, aposta Silveira.

A Renault é a maior empresa do setor automotivo em 500 MAIORES DO SUL – GRANDES & LÍDERES (veja os principais indicadores nas tabelas a seguir). A mais rentável do segmento é a catarinense ZM.

Maiores por Receita Líquida

Pos. Setor

Classif. Geral

Empresa/Grupo

UF

 Rec. Líq.*

 Var. (%)

1

18

Renault do Brasil

PR

                       8.014,89

             (10,79)

2

34

Grupo Randon

RS

                       3.099,40

             (17,98)

3

33

Marcopolo e Controladas

RS

                       2.739,13

             (19,44)

4

114

Gestamp Brasil S/A

PR

                          776,38

             (22,05)

5

127

Agrale e Controladas

RS

                          741,55

             (19,37)

*Em R$ milhões.

Mais Rentáveis

Pos. Setor

Classif. Geral

Empresa/Grupo

UF

 Rent. Rec. Líq. (%)

 Lucro Líq.*

1

340

ZM S/A

SC

                            19,96

               23,80

2

358

Zen S/A

SC

                            13,67

               19,95

3

439

Vegrande Veículos Casagrande S/A

PR

                               4,92

                 7,24

4

33

Marcopolo e Controladas

RS

                               3,25

               89,08

5

442

Triel-HT Industrial e Participações S/A

RS

                               3,13

                 4,09


leia também

Fábrica da Renault no Paraná produzirá dois novos carros - Com SUV, a montadora projeta alcançar 10% do segmento no país

No grid de largada da indústria automobilística - Renault fez parte dos primórdios do setor no Brasil

O carro autônomo é uma das apostas da Nissan para o futuro - A montadora japonesa desenvolve produtos para ter sucesso em um mundo onde o transporte será conectado

Renault contrata 550 funcionários temporários - Motivo foi uma demanda momentânea de exportação

Renault do Brasil troca presidência - Fabrice Cambolive substitui Olivier Murguet no comando da montadora

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: