Reestruturação do BB fechará 64 agências no Sul

Santa Catarina perderá 37 pontos de atendimento

Da Redação, com Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Reestruturação do BB fechará 64 agências no Sul

O Banco do Brasil fechará agências bancárias, ampliar o atendimento digital, lançar um plano de aposentadoria incentivada e propor redução de jornada de trabalho para parte dos funcionários. Segundo o banco, será preservada a presença do BB nos municípios em que já atua. Serão fechadas 31 superintendências regionais e 402 agências. Outras 379 agências serão transformadas em postos de atendimento bancário. Atualmente, o BB tem 4.972 agências de varejo e 1.781 postos de atendimento. Em outubro, o banco já havia iniciado o encerramento de outras 51 agências. 

Na região Sul, 64 agências serão fechadas. Santa Catarina perderá 37 pontos de atendimento. Outras 16 serão encerradas no Rio Grande do Sul e 11 no Paraná. O maior número de agências fechadas fica em Florianópolis (8).  

Com a reestruturação, haverá redução de 9,3 mil vagas no quadro do banco. “O Banco do Brasil não está demitindo ninguém. Em função em extinção de agências, teremos redução de vagas”, disse o presidente do BB, Paulo Caffarelli.  Segundo Caffarelli, o BB gasta atualmente R$ 3 bilhões por ano a mais do que os bancos privados com folha de pagamento. O BB tem atualmente 109.159 funcionários. De acordo com o presidente da instituição, a realização de novos concursos vai depender da adesão ao programa de aposentadoria incentivada.

Segundo o banco, se até fevereiro de 2017 os funcionários de agências fechadas não tiverem sido realocados, ainda terão quatro meses para a mudança, com manutenção dos salários. Devido à rotatividade de funcionários e às adesões à aposentadoria voluntária, o banco não espera ter problemas com a realocação de pessoas.


leia também

AGCO compra fatia do BB e Previ na Kepler Weber - A dona da Massey Ferguson deverá ter 65% do capital da Kepler

Bancos oferecem a clientes venda de dólares em caixa eletrônico - O limite para saques pelo modelo é o autorizado pelo Banco Central, de US$ 3 mil por dia

Bancos se unem para criar empresa de análise de crédito - BB, Bradesco, CEF, Itaú e Santander trocarão dados de clientes

Cade aprova criação de bureau de crédito - BB, Bradesco, CEF, Itaú e Santander trocarão dados de clientes

Ganho com ouro chega a 23,6% - Aplicação perdeu apenas para o dólar em 2015

Inteligência competitiva: a alma (e o cérebro) do negócio - O ato de decidir se baseará cada vez mais em análise de dados

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: