Anfavea prevê crescimento de um dígito na produção de 2017

Safra também deve ajudar a vender máquinas agrícolas

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Anfavea prevê crescimento de um dígito na produção de 2017

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, traçou um cenário otimista para a indústria automobilística brasileira no próximo ano, embora o setor deva fechar 2016 com uma queda de 19% na produção de veículos, em comparação a 2015. Segundo Megale, a Anfavea projeta crescimento de pelo menos um dígito.  “Ainda não temos os números fechados, mas acreditamos que será um bom crescimento, dada a crise pela qual o país passa e que acreditamos estar chegando ao fim, pelo menos para o setor”, afirmou. A declaração foi feita no Fórum Salão do Automóvel 2016, evento paralelo que reuniu profissionais e demais dirigentes do setor automotivo, em São Paulo. 

Quando se trata do segmento de veículos pesados, como o de máquinas agrícolas, Megale é ainda mais otimista, em virtude da projeção do crescimento da safra agrícola brasileira em 2017, que deverá ultrapassar 200 milhões de toneladas de grãos. “Obviamente isso requer a aquisição de novas máquinas para o setor, o que nos deixa com uma expectativa positiva”, destacou. 

Como o Fórum tratou das perspectivas da indústria automotiva para as próximas décadas, o presidente da Anfavea fez questão de afirmar que o automóvel ainda terá um longo futuro, no Brasil e no mundo. A afirmação foi feita em meio a previsões pessimistas quanto ao consumo de carros pelas novas gerações, dada a tendência verificada em determinadas pesquisas no que se refere à falta de interesse dos jovens, que preferem dispor de outros meios de transportes para a própria locomoção.  “A Organização Internacional de Construtores de Automóveis divulgou dados de uma pesquisa indicando que 67% dos entrevistados entendem que o primeiro carro é uma das principais conquistas da vida”, ressaltou Megale.


leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

A vingança de Camões - Massacrar o português não é passaporte para o sucesso. É só um atentado civilizacional

Ações da Braskem seguem em queda por Lava Jato - Os papéis desvalorizaram mais de 5% nesta quinta-feira

Acordo de leniência da Braskem avança - No ano passado, a petroquímica iniciou investigações internas

comentarios




Aurélio B. Jair

Creio que o Sr. Antonio Megale não tomou café da manhã hoje. Deve ter-se enganado e empinou um copo de cachaça.

Comentar

Adicione um comentário: