HSBC: a marca vai, a estrutura fica

Agências e área de TI permanecem em Curitiba após venda ao Bradesco

Por Laura D´Angelo

Agências, centros administrativos e área de tecnologia do HSBC permanecem em Curitiba após venda para o Bradesco

As cores são as mesmas, mas os nomes... quanta diferença. As agências espalhadas pelas ruas brasileiras estampam o mesmo vermelho e branco, mas, agora, o logotipo do HSBC dá lugar ao do Bradesco. Os clientes do banco inglês – que se instalou em Curitiba, nos anos 1990, ao comprar o Bamerindus – carregam na carteira um novo cartão de correntista. Após um ano da venda, o HSBC começa a deixar o país. Mas, para alívio dos curitibanos, a despedida é somente da grife. Toda a estrutura na capital paranaense deve permanecer: das agências aos centros administrativos. “Nossa preocupação era em relação ao que o HSBC representa do ponto de vista econômico e social à cidade. São quase R$ 80 milhões de ISS por ano, algo em torno de 8% a 10% da arrecadação municipal, além de 7 mil empregos diretos”, detalha Gustavo Fruet, prefeito de Curitiba. 

A manutenção, principalmente, das agências Prime e do centro de tecnologia instalados no Sul é estratégica para o Bradesco. Os executivos do banco não escondem que a aquisição dará um ganho de escala no segmento corporativo e de pessoas físicas de alta renda, além de dobrar a equipe de TI que trabalha para tornar o banco cada vez mais digital. A unidade de Curitiba terá como foco o desenvolvimento de plataformas de atendimento web e mobile.  “A contribuição da aquisição do HSBC nos resultados deve ser discreta este ano. A sinergia trará benefícios e isso deve ser mais perceptível em 2017”, observa Luiz Carlos Angelotti, diretor de relações com investidores. Até junho, o HSBC registrou prejuízo de R$ 738,6 milhões enquanto o Bradesco fechou o mesmo período com lucro de R$ 4,1 bilhões.

O HSBC lidera o setor Financeiro em 500 MAIORES DO SUL, enquanto o Banco Sistema (ex-Bamerindus) é o primeiro colocado em rentabilidade sobre receita (veja tabelas a seguir). 

Maiores por Receita Líquida

Pos. Setor

Classif. Geral

Empresa/Grupo

UF

 Rec. Líquida*

 Var. Rec. (%)

1

5

HSBC Bank Brasil S/A

PR

                              21.351,07

                      23,82

2

7

Banrisul – Banco do Estado do RS

RS

                              10.804,34

                      31,81

3

6

Sicredi – Consolidado

RS

                                8.655,18

                      31,55

4

49

Cia. Créd. Fin. Investimento RCI Brasil

PR

                                1.321,39

                      14,02

5

40

BRDE - Banco Reg. Des. Extr. Sul

RS

                                1.211,19

                      16,99

*Em R$ milhões.

Mais Rentáveis

Pos. Setor

Classif. Geral

Empresa/Grupo

UF

 Rent. Rec. Líquida (%)

 Lucro Líquido*

1

15

Banco Sistema S/A (ex-Bamerindus)

PR

                                   145,02

                 1.215,60

2

189

Credicoamo Créd. Rur. Coop.

PR

                                     48,43

                      93,50

3

71

Fomento Paraná

PR

                                     41,08

                      76,05

4

249

Cabergs

RS

                                     35,30

                      42,08

5

421

Rio Grande Seguros e Previdência S/A

RS

                                     29,03

                      31,81

*Em R$ milhões.

 



leia também

Aquisição do HSBC pelo Bradesco: o que muda? - Jurista Tatiana Ribeiro explica cuidados que os clientes devem ter

Bancos se unem para criar empresa de análise de crédito - BB, Bradesco, CEF, Itaú e Santander trocarão dados de clientes

Cade aprova criação de bureau de crédito - BB, Bradesco, CEF, Itaú e Santander trocarão dados de clientes

Confira cinco ações para lucrar com dividendos - Planner retirou recomendação de compra para Tractebel

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: