Estaleiro Fibrafort pede recuperação judicial

Crise econômica diminuiu em 75% as vendas da empresa catarinense

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Estaleiro Fibrafort pede recuperação judicial

O estaleiro catarinense Fibrafort entrou com um pedido de recuperação judicial. A empresa de Itajaí já foi a maior da América do Sul e, até o ano passado, vinha apresentando ótimos resultados impulsionada pelo aquecimento do mercado nacional e o aumento da demanda de exportações pelos seus barcos (foto). “A retração econômica, entretanto, afetou diretamente o consumidor emergente, cliente-alvo da Fibrafort. E a conta não fechou mais: a média de produção e venda de quatro embarcações por dia passou para um barco diário – uma queda de 75%”, revela o Jornal de Santa Catarina em sua edição desta quinta-feira (10). 

De acordo com a publicação, o dólar alto estimulou as exportações, mas a venda para o mercado externo não foi suficiente para compensar a baixa no mercado nacional. Diante disso, o resultado foi a adequação da linha de produção para alcançar o ponto de equilíbrio, o que resultou na demissão de quase dois terços dos 300 funcionários. Com a estrutura enxuta, a Fibrafort apelou para a recuperação judicial para ganhar prazo para o pagamento das dívidas, que não tiveram o valor divulgado. Márcio Ferreira, empresário que comanda o estaleiro, revelou ao Jornal de Santa Catarina que o processo protegerá a marca, que é conhecida internacionalmente, e os empregos. “Estamos comprometidos em pagar todos os credores”, afirmou. 


leia também

A recuperação judicial sob o viés do investidor - Palestra em Porto Alegre nesta sexta-feira (16) tem inscrições gratuitas

BNDES abre linha de crédito para empresas em recuperação - O programa terá orçamento de R$ 5 bilhões e validade até 2017

BNDES entra em campo para ajudar empresas em crise - Para o advogado Luis Gustavo Schmitz, iniciativa preserva empregos

Crise da Oi não afeta clientes no momento - Credores e acionistas podem chegar a um acordo sobre a dívida

Desse jeito, a lei não será capaz de recuperar empresa alguma - Maciel Titto questiona tratamento diferenciado a fisco e bancos

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: