Dólar fecha em alta e Bolsa em queda por causa de Trump

Os mercados deverão reagir com instabilidade nos próximos dias

Por Agência Brasil

Após eleição de Trump, dólar fecha em alta

O dólar comercial fechou esta quarta-feira (9) cotado a R$ 3,2110, com alta de 1,38%. Já a Bolsa de Valores de São Paulo (BM&F Bovespa) fechou o pregão em queda. O principal índice da bolsa, o Ibovespa, encerrou o dia com retração de 1,4%, aos 63.258 pontos. Às 10h12, o índice chegou a bater -3,1% (61.794 pontos), mas se recuperou no decorrer da tarde. 

As ações que mais caíram foram Kroton ON NM (-4,5%), Cemig PN (-3,5%) e Energias Br ON (-2,9%). As que tiveram as maiores altas foram Gerdau PN (6,3%), Vale ON (4,3%) e Fibria ON (3,9%). 

Efeito Trump
Segundo o analista de investimentos da corretora Rico, Roberto Indech, o comportamento da Bolsa de Valores foi marcado pela volatilidade, em razão da eleição de Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos, resultado anunciado na madrugada desta quarta.  “Não há estabelecido nenhum tipo de diretriz de política econômica para o governo Trump. Esse é o grande ponto de interrogação, e por isso os mercados acordaram nervosos. Agora é momento de sentar, aguardar e ver realmente quem vai formar essa equipe econômica e quais serão as diretrizes daqui para a frente”, ponderou.

De acordo com Indech, no entanto, os mercados, em geral, deverão reagir nos próximos dias com instabilidade, mas a tendência não deve atingir o cenário brasileiro. “O mercado nacional está extremamente concentrado na aprovação da PEC [Proposta de Emenda Constitucional] que limita os gastos. E vai continuar focado no momento político do país e nas medidas de ajuste fiscal”, ressaltou.


leia também

A briga dos EUA com a China beneficiará o Brasil? - Os dois países têm estratégias claras e mercados consumidores imensos

A Cetip é a ação de dividendos mais indicada para compra - Cinco corretoras recomendam o papel da empresa do setor financeiro

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A crise no terceiro parceiro comercial do Sul - Casa Rosada anuncia pacote econômico. Indústria brasileira começa a evitar vendas a prazo na Argentina

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A saída dos EUA da TPP pode ser vantajosa para a China - Decisão de Trump abre caminho para o gigante asiático dominar as maiores rotas comerciais do mundo

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: