Weg adquire negócio de turbinas eólicas da NPS

A empresa projeta e fabrica aerogeradores nos EUA

Da Redação

redacao@amanha.com.br

WEG adquire negócio de turbinas eólicas da Northern Power Systems

A Weg anunciou nesta quarta-feira (26) a aquisição do negócio de turbinas eólicas “utility scale” da Northern Power Systems (NPS). A empresa projeta, desenvolve e fabrica aerogeradores, em Barre, Vermont (EUA). Pelo acordo, a Weg se tornará a única proprietária da carteira de patentes, ativos, know-how e materiais afins, incluindo todos os desenhos, projetos, especificações e software utilizados em conexão com o projeto e manutenção de aerogeradores com mais de 1,5 megawatts de capacidade nominal (“utility-scale”). O valor do negócio não foi revelado.

A WEG e NPS (foto) firmaram uma parceria tecnológica em 2013 para introduzir com sucesso as soluções de turbinas eólicas permanent magnet direct drive no mercado sul-americano. “Decidimos agora avançar e dar este passo fundamental na nossa estratégia de crescimento e internacionalização do negócio de energia eólica", declara Eduardo de Nóbrega, diretor da unidade energia da Weg.  “A aquisição, além de nos trazer uma equipe de engenharia muito experiente, vai também nos permitir acelerar o desenvolvimento de novas gerações de turbinas eólicas, construindo sobre a base do portfólio atual muito bem-sucedido de turbinas eólicas de 2.1 MW a 2.3 MW”, completa. 

Resultados
A Weg também anunciou os resultados do terceiro trimestre. A receita líquida entre julho e setembro totalizou R$ 2,2 bilhões, recuo de 12% em relação ao mesmo período do ano passado. A maior parte do valor (R$ 1,2 bilhão) é por conta das vendas no mercado externo, que caiu 14,5%, principalmente por causa do impacto do câmbio. O lucro líquido caiu 3,2% no terceiro trimestre deste ano em relação a igual intervalo em 2015 fechando em R$ 257 milhões.

“Ficou bastante claro que a tendência de deterioração das condições de negócios no Brasil foi superada, muito embora a recuperação do nível da atividade seja ainda lenta e gradual. A diversificação de produtos, mercados e clientes é característica em nosso modelo de negócios, pois nos permite minimizar os efeitos da queda de demanda. O principal foco neste ano será a preservação da competitividade de longo prazo, diante de um ambiente econômico ainda difícil. Continuamos enfrentando um mercado global ainda difícil, com segmentos importantes com baixo investimento”, relata a empresa no comunicado. 


leia também

As empresas que perderam mais de R$ 1 bi na bolsa - Klabin, Braskem e Weg estão na lista da Economatica, com base em junho

As grandes tacadas da Weg no Brasil e no exterior - Empresa catarinense encontra novas oportunidades de negócio

Fiesc defende política para reduzir ociosidade na cadeia de petróleo e gás - A crise no setor naval em SC cortou 5 mil vagas, alertou Glauco Côrte no lançamento do Movimento Produz Brasil

Grandes empresas catarinenses adotam redução de salário e de jornada - As principais justificativas são a tentativa de evitar mais demissões e a crise econômica

Indústria do Sul perde Eggon João da Silva - Corpo do fundador da Weg foi sepultado no domingo

Nem a crise afasta a Weg do crescimento - Empresa amplia investimentos no exterior e reforça o mix de produtos

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: