BC projeta inflação abaixo da meta nos próximos dois anos

Ata do Copom prevê IPCA de 4,3% em 2017 e de 3,9% em 2018

Da Redação

redacao@amanha.com.br

BC projeta inflação abaixo da meta nos próximos dois anos

As estimativas para a inflação estão abaixo da meta para 2017 e em 2018, anuncia a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) publicada nesta terça-feira (25). De acordo com o documento, o Banco Central (BC) projeta elevação de 4,3% para o IPCA para o próximo ano e de 3,9% em 2018 no cenário de referência, que considera um câmbio a R$ 3,20 e a manutenção da taxa Selic em 14,25% por todo o horizonte de projeção. Ambas estão abaixo da meta de 4,5%.

Para este ano, o cenário foi revisto para baixo e a inflação deve fechar em torno de 7%. O cenário de mercado considera as estimativas de câmbio e para a taxa Selic captadas pela pesquisa Focus.  Para o câmbio, as projeções são de R$ 3,25, R$ 3,40 e R$ 3,50 ao fim deste ano, de 2017 e de 2018 e, para a Selic, de 13,5%, 11% e 10%, respectivamente. 

O BC informa, ainda, que as projeções para a alta dos preços administrados permaneceram inalteradas em relação ao Relatório de Inflação mais recente, de 6,2% para 2016, de 5,8% para 2017 e de 5,1% para 2018.


leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A crise no terceiro parceiro comercial do Sul - Casa Rosada anuncia pacote econômico. Indústria brasileira começa a evitar vendas a prazo na Argentina

A estabilidade do funcionalismo público é mesmo necessária? - O tema é particularmente importante no contexto de ajuste fiscal, avalia Zeina Latif

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

A superfície e as profundezas da economia - Retomada poderá ser difícil dada a situação financeira empresarial

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: