Indústria precisa qualificar 13 milhões de trabalhadores até 2020

Segundo a CNI, será preciso formar 625 mil profissionais no ensino superior, mas a maior demanda será por técnicos

Por Agência Brasil

Indústria precisa qualificar 13 milhões de trabalhadores até 2020

Pesquisa sobre a formação de mão de obra divulgada nesta quarta-feira (19) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que o Brasil precisará qualificar 13 milhões de trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico e de qualificação até 2020. O Mapa do Trabalho Industrial 2017-2020, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), é uma projeção sobre as necessidades de qualificação do trabalhador da indústria para o período. 

Segundo o estudo, será necessário formar 625,4 mil profissionais no ensino superior, mas as maiores demandas serão por formação de técnicos e qualificação técnica, somando 5,1 milhões de trabalhadores. Outros 7,1 milhões deverão ter qualificações básicas. Os setores que mais vão demandar formação profissional serão: construção (3,8 milhões de trabalhadores); meio ambiente e produção (2,4 milhões); metal/mecânica (1,7 milhão); e alimentos (1,2 milhão). Vestuário e calçados; tecnologias de informação e comunicação; energia; veículos; petroquímica e química; madeira e móveis; papel e gráfica; mineração; pesquisa, desenvolvimento e design estão entre os outros setores com grande demanda.

Para o diretor-geral do Senai e diretor de Educação e Tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi, o Brasil precisa de um modelo de educação que favoreça o desenvolvimento econômico e social, a exemplo do que é feito em países desenvolvidos. “Temos um grave problema na matriz educacional brasileira. O ensino médio brasileiro está indo no caminho errado e vale fazer essa reflexão”, opina ele, defendendo a reformulação do ensino médio que está em discussão no Brasil. A proposta de reestruturação do ensino médio possibilitará que o aluno escolha diferentes trilhas de formação e formação técnica. “No Brasil, apenas 12% da população adulta têm ensino superior e é importante enxergarmos a formação profissional como um caminho importante para a inserção no mercado e para manter a empregabilidade das pessoas que têm acesso à requalificação”, assinala Lucchesi.

Segundo a CNI, em países como a Áustria, por exemplo, 76,8% dos jovens procuram a educação profissional. O diretor-geral do Senai conta que lá, três vezes mais jovens cursam a universidade e isso não impede que haja um elevado número de jovens na educação profissional. Na Alemanha, 51,5% dos jovens fazem educação profissional e na França, 44,3%. “A reforma vai na direção correta do que os principais países, desenvolvidos e emergentes têm feito com um sistema de ensino médio mais diversificado e flexível. Isso melhora a qualidade da educação, o nível de engajamento do jovem nessa atividade e o resultado final”, afirma Lucchesi. 

A demanda por formação até 2020 inclui a requalificação de profissionais que já estão empregados e aqueles que precisam de capacitação para ingressar em novas oportunidades no mercado de trabalho. Segundo Lucchesi, 28% são empregos novos e 72% são demandas por aperfeiçoamento e requalificação. A maior necessidade por profissionais capacitados em ocupações industriais se concentra no Sudeste, Sul e Nordeste, alinhada com a participação dessas regiões no PIB, a soma de todas as riquezas produzidas pelo país.


leia também

Anima Educação chega ao Sul com a aquisição da Sociesc - A companhia arrematou a instituição de ensino catarinense por R$ 150 mi

Atividade industrial segue enfraquecida - Para CNI, a ociosidade no setor continua elevada

Bolsonaro vai criar superministério da Economia - Pasta reunirá Fazenda, Planejamento, Indústria e Comércio

Centenas de motivos para comemorar 2015 - A Egali Intercâmbio projeta alcançar R$ 100 milhões de faturamento

CNI prevê que PIB recuará 3,1% neste ano - Entidade revisou a estimativa diante da melhora das expectativas

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: