Grupo Boticário deve ter crescimento modesto em 2016

Artur Grynbaum já esperava um ano difícil

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Artur Grynbaum, presidente do Grupo Boticário

O Grupo Boticário deve elevar a sua receita em uma taxa menor do que a verificada em 2015, que foi de 8,8%. Se o índice for confirmado, a empresa paranaense pode perder novamente para a inflação, mas ficar acima da média do setor de beleza que teve a primeira queda real no ano passado.

O presidente da companhia, Artur Grynbaum (foto), afirma que já esperava um ano difícil. “Apesar de algumas pessoas dizerem que o ano já ensaiaria uma recuperação, eu dizia que não. Tivemos um aprofundamento dos momentos de crise. Todos os indicadores econômicos estão no vermelho, como o desemprego. Nós temos conseguido trabalhar tentando preservar os números referentes ao ano passado”, declarou o executivo na edição desta quinta-feira (6) do jornal Gazeta do Povo. 

Nem mesmo os produtos de beleza resistiram à recessão brasileira. No ano passado, o setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (HPPC) teve queda real de 8%, a primeira em mais de duas décadas. 


leia também

A fantástica fábrica de perfumes - Saiba como surgiu a colônia Acqua Fresca, sucesso d'O Boticário

Vendas crescerão só um dígito, prevê presidente do Grupo Boticário - Segundo Artur Grymbaum, o consumidor, acuado pela crise, terá comportamento imprevisível neste Natal

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: