Pascal Marty é o novo winemaker da Peterlongo

Enólogo francês, responsável por projetos como Almaviva e Opus One, fecha parceria com a centenária vinícola gaúcha

Por Marcos Graciani

graciani@amanha.com.br

Pascal Marty é o novo winemaker da Peterlongo

Homem forte da francesa Mouton Rothschild e responsável por projetos da empresa que resultaram em grandes marcas como Opus One (EUA) e Almaviva (Chile), Pascal Marty (foto) é o novo winemaker da Peterlongo. O acordo entre Marty e a marca gaúcha foi assinado no último final de semana, após meses de conversas, e tem duração inicial de 10 anos. Na segunda-feira (28), o francês foi conhecer a estrutura vinícola e vinhedos da empresa, antes de retornar ao Chile, onde vive atualmente e empreende em uma vinícola própria, além de prestar consultorias.

Marty passa a integrar um audacioso projeto de revitalização da marca, iniciado em 2002, quando os sócios atuais compraram a empresa, até então familiar, e iniciaram sua retomada, saneando a empresa financeiramente e dando início a uma série de investimentos, que culminam em 2016 com revitalizações das centenárias instalações localizadas em Garibaldi e com a contratação de um nome de peso no cenário internacional de vinhos. Após desenvolver alguns dos mais bem sucedidos projetos vinícolas do mundo, o novo winemaker terá a missão de revitalizar produtos de todas as linhas da Peterlongo, além de iniciar o primeiro projeto estruturado de um super-premium brasileiro, comandando a equipe de enologia da vinícola.

“Venho conhecendo o Brasil vitivinícola aos poucos. Primeiro comercializando meus produtos aqui, depois conheci a região vinícola e conheci vinicultores e empresários do setor, como é o caso do Luiz Sella, da Peterlongo. O acordo que fechamos agora é resultado de muita coisa. De uma enorme capacidade de gestão e implantação de projetos por parte da vinícola, de uma certeza de que o Brasil é um país incrível para vinhos e espumantes, de análise criteriosa feita pela minha equipe de agrônomos nos últimos meses e de uma paixão compartilhada por mim e pela vinícola que tornam o vinho algo mágico, como deve ser”, explica Marty.

Ainda sem detalhes, o projeto terá início com Marty realizando uma profunda análise em toda a linha de produtos da vinícola e atuando junto aos processos de elaboração e cultivo de vinhedos. “A ideia é começar das bases, sendo muito realista em relação a tudo o que precisamos corrigir. Vamos trabalhar no vinhedo, pois sem uvas de alta qualidade não é possível fazer grandes vinhos. Depois o processo de evolução e crescimento será natural”, explica Luiz Carlos Sella, um dos sócios da Peterlongo. Sella reforça que o trabalho de Marty na vinícola será de base e de longo prazo, sendo que os primeiros efeitos do novo homem forte do vinho brasileiro devem chegar a partir do próximo ano.

Quem é Pascal Marty
Engenheiro agrônomo e enólogo francês formado pelo Instituto de Enologia de Bordeaux em 1982, Pascal Marty foi winemaker da Baron Philippe de Rothschild SA por mais de 14 anos, onde integrou o processo de expansão global da empresa e se transformou em um dos maiores nomes do setor no mundo. Responsável por alguns dos projetos vitivinícolas mais ousados e bem sucedidos do mundo, atualmente Marty vive e empreende no Chile, onde é proprietário da Viña Marty e ainda presta serviços de consultoria a um grupo seleto de empresas em regiões vinícolas de destaque.

Durante sua atuação na Baron Philippe de Rothschild AS coube a Pascal Marty implantar e acompanhar o desenvolvimento e gestão da associação franco-americana com Robert Mondavi que resultou no Opus One, em 1984. O projeto é o considerado o primeiro vinho ultra premium do mundo. Pascal Marty acompanhou a construção de uma vinícola inovadora que deu origem ao vinho que uniu a tinta Cabernet Sauvignon e outras variedades de Bordeaux, como Cabernet Franc e Merlot. Com o passar dos anos o ousado projeto que uniu dois gigantes da indústria vitivinícola mundial acumulou prêmios e fama e criou seu próprio nicho de mercado.

Em 1997, Pascal Marty foi o escolhido para ser Co-CEO e winemaker de Viña Almaviva S.A, no Chile. Joint venture criada pela Baron Phillippe em parceria com a Concha y Toro, a Viña Almaviva lançou o primeiro ultra premium chileno e deu novo status ao vinho latino americano. Marty acompanhou pessoalmente a revitalização de 40 hectares de vinhedos e a construção de uma vinícola icônica e que em pouco tempo transformou seus vinhos em sinônimo de qualidade e desejo em várias partes do mundo. Desde a sua criação, Viña Almaviva é considerada uma das principais vinícolas do Chile, com pontuações entre 95 e 100 pontos de personalidades proeminentes da indústria como Robert Parker e revistas internacionais, como a Wine Spectator.

Em 2003, Pascal teve a oportunidade de construir e desenvolver um projeto único que levou à criação do primeiro vinho ícone da Viña Cousiño Macul, chamado Lota. Desde o seu lançamento, este conjunto de uvas tintas de qualidade super premium recebeu notas acima de 93 pontos e elogios de líderes da indústria vitivinícola.

Com uma longa história na indústria do vinho chileno e do mundo, Marty tem sido reconhecido como um ícone no velho e novo mundo do vinho. Atualmente ele mantém algumas poucas consultorias escolhidas a dedo no mundo e comanda sua própria vinícola, a Viña Marty, no Chile, onde a tradição e experiência do Velho Mundo de fundem com a modernidade e inovação do Novo Mundo.


leia também

Diversidade do vinho brasileiro impera na Safra 2016 - Nada menos que 11 variedades estão entre as mais representativas do ano

Peterlongo dá voz ao consumidor - Público avaliará produtos da vinícola. Degustação será comandada por Pascal Marty, criador do Opus One

Pódio da Stock Car teve espumante produzido no Sul - O brinde dos campeões foi feito com o Gran Espumante Armando Peterlongo Brut

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: