Jackson Rodrigues morre aos 49 anos

Executivo ocupava o cargo de diretor regional Sul da Vivo

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Jackson Rodrigues, diretor regional Sul da Vivo, morre aos 49 anos

Faleceu sábado (24), em Barcelo, na Espanha, o diretor regional Sul da empresa de telefonia Vivo, Jackson Rodrigues (foto), aos 49 anos.  Rodrigues foi vitima de um acidente vascular cerebral (AVC). Gaúcho de Santo Ângelo, Rodrigues ingressou na Vivo em março de 2000 e desde julho de 2015 dirigia a companhia no Sul, desde a saída de Clenir Wengenowicz. 

Administrador de Empresas com pós-graduação em Recursos Humanos e Finanças pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul/URI, especializações em Gestão Estratégica de Negócios pelo IBEMEC, e Finanças Internacionais pela Universidade de Lisboa, Rodrigues respondia pela estrutura e equipes da empresa responsável pelo atendimento a 874 cidades do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.   

Leia, a seguir, a contribuição dada por Rodrigues na última edição de AMANHÃ. O executivo foi um dos tomadores de decisão do Sul que foi convidado a refletir sobre o Brasil do futuro tendo em vista o aniversário de 30 anos de circulação de AMANHÃ. “Cidades mais inteligentes, inclusivas e colaborativas” foi o título escolhido por Rodrigues para seu texto. 

“É indiscutível o acelerado avanço tecnológico. Em 2020, haverá mais pessoas no mundo com acesso a dispositivos móveis que à água, revela a Cisco. Convivemos com uma grande transformação no modo de viver. Esse ambiente estimula atividades  inteligentes, colaborativas e absolutamente inclusivistas. O digital muda a relação de tempo para tudo o que conhecemos. Viajamos em um clique e compramos sem sair de casa. Agendamos compromissos de forma mais econômica e assertiva. E assim reordenamos antigas formas de “levar a vida”. Mudamos o contexto do analógico para o digital e modificamos a forma de aprender e de nos divertir.

Esse mundo em transformação exige adaptação e rompimento com velhos preconceitos. Nos veremos absolutamente diferentes, despidos de hábitos incorporados quando eram pertinentes. Não iremos esquecê-los, mas reescrevê-los. Seguiremos indo ao supermercado, mas adicionaremos o componente do passeio, pois as compras poderão ser ordenadas diretamente da sua geladeira por meio de controle de estoques.

As Smart Cities devolverão prazeres que foram se distanciando do cotidiano. Monumentos observados por câmeras possivelmente permanecerão mais limpos e menos ofendidos. Praças e parques iluminados com gestão remota darão maior segurança e com custos justos aos cofres públicos. Vagas de estacionamento serão visíveis nas centrais de mídia automotiva. Transportes de massa terão rotas gerenciadas. Com desenvolvimentos como o 5G, será possível mitigar os congestionamentos graças a uma gestão imediata do tráfego baseado em análises de big data. O diferencial será o reaproveitamento de rotas pouco utilizadas. A quantidade de informação de que já dispomos é grande, mas poderá ser melhorada graças aos sensores que serão incluídos nos carros e dispositivos inteligentes. Enfim, a conectividade em todo lugar significará conhecimento da nossa cidade. É a informação ao alcance do olhar de cada um, sem a necessidade de poluição visual ou gastos com placas ou sinalizações. 

A saúde passará a ser vista com forte viés matemático, e respostas mais precisas e em menores ciclos temporais serão possibilitadas por meio de aplicação algorítmica. A política terá de ganhar novas formas. No mundo digital, tudo é visto e percebido, permitindo opinião e expressão. Votações fechadas poderão ser revistas, assim como sua validade como modelo decisório.

Por tudo isso, acredito sinceramente que construiremos um mundo muito melhor. Creio no mundo conectado que permitirá maior segurança, mais saúde e conhecimento. Que possamos todos viver essa maravilhosa transformação!”


leia também

comentarios




Alberto Preti da Silva

Lamentável e lastimável perda. Excelente gestor e profissional. Deixará saudades, porém transmitiu um legado ímpar, para quem pode ter o prazer de conviver com ele. Descanse em paz!

Ester Elias

Certamente deixou seu legado de um grande líder.

Patrícia Focchi

Excelente matéria! Excelente executivo!! Sempre apoiou os programas sociais e sempre foi um grande líder na empresa!

Comentar

Adicione um comentário: