BC dos EUA decide manter a taxa de juro

Fed aguarda mais evidências do progresso econômico

Da Redação

redacao@amanha.com.br

O Federal Reserve (Fed) anunciou nesta quarta-feira (21) que decidiu manter a taxa de juro dos Estados Unidos entre 0,25% e 0,5%. No entanto, três dos onze integrantes do comitê de política monetária do o banco central norte-americano manifestaram oposição à decisão. Essa é a maior dissidência desde dezembro de 2014. Os dissidentes foram Esther George, presidente do Fed de Kansas City, Loretta Mester, do Fed de Cleveland, e Eric Rosengren, do Fed de Boston, que queriam um aumento do juro de curto prazo. 

Os integrantes concluíram que o crescimento econômico do país está melhorando após um primeiro semestre desapontador, que a inflação permanece baixa e que os ganhos no emprego estão se aproximando do pico. Porém, a maioria dos integrantes da autoridade monetária optou por aguardar mais evidências de progresso continuado da economia.

O Fed se reunirá em novembro para discutir política monetária e tem novo encontro marcado para dezembro.


leia também

A crise no terceiro parceiro comercial do Sul - Casa Rosada anuncia pacote econômico. Indústria brasileira começa a evitar vendas a prazo na Argentina

Anefac: juros sobem pelo 16º mês seguido - Bancos elevam taxas para compensar aumento da inadimplência

Banco Central anuncia ações para baixar custo do crédito - Goldfajn confirmou que será proposta a cobrança de preços diferenciados para pagamentos em dinheiro e cartão de crédito

Banco Central indica corte menor de juros - Copom também prevê fim gradual do ciclo de reduções

Banco Central prevê queda do PIB de 3,3% este ano - A inflação, medida pelo IPCA, deve ficar em 6,9%

Bancos não poderão cobrar juros de mercado por atrasos em pagamentos - Para o BC, exigência trará mais uniformidade às operações de crédito e tornará as regras mais claras para os clientes

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: