Prepare-se para mais pressão

A avaliação mensal já é realidade no mundo e logo será aplicada no Brasil

Por Bernt Entschev

A avaliação dos funcionários é uma das formas de garantir a produtividade da empresa. Essa metodologia foi revolucionada em 1954, quando Peter Drucker lançou seu livro “The Practice of Management”, criando a administração por objetivos. Nela, ele inverte conceitos clássicos, valorizando o planejamento e a avaliação. Esses conceitos evoluíram, naturalmente, ao longo das décadas. Agora estamos no limiar do que pode ser uma nova revolução. 

Hoje as organizações de qualidade fazem planejamentos anuais, com avaliações de pessoal e metas em período semelhante. Isso está mudando. Uma reportagem publicada no final de agosto pelo The Wall Street Journal dá conta de uma nova realidade. A Kimberly-Clark, gigante multinacional da área de cuidados pessoais, implantou um novo software que permite analisar o progresso dos funcionários e expõe rapidamente quem não está dando os resultados esperados. Com isso, a rotatividade é o dobro do que era há dez anos. Cerca de 10% dos empregados na fábrica dos Estados Unidos deixam a empresa a cada ano, voluntariamente ou não, segundo a Kimberly-Clark.  

Com isso, as metas podem ser personalizadas, calculadas mensalmente e a avaliação é feita no mesmo prazo. Na esteira da multinacional norte-americana, outras empresas como General Electric já substituíram as avaliações anuais por feedbacks mais frequentes. Em junho, a Coca-Cola lançou mundialmente um novo programa de gerenciamento de desempenho que recomenda “reflexões” mensais sobre cada empregado. Vejo isso como uma tendência que não demorará a ser aplicada no Brasil. 

A avaliação em prazos menores trará uma preocupação a mais para os funcionários. A pressão aumenta e fica mais difícil planejar a carreira e até cuidar da vida pessoal.  Por outro lado, será possível corrigir deficiências rapidamente. Ter feedbacks e trabalhar mais próximo às chefias. Ou seja, favorecerá os bons profissionais.  Do lado empresarial, haverá mais controle e diagnósticos mais precisos. Os sistemas permitem que os gerentes acompanhem o desempenho dos funcionários através de planilhas e corrijam erros e apontem necessidades com rapidez.  As lideranças de todos os níveis deverão estar atentas, pois seu trabalho também será avaliado a partir dos resultados obtidos nos escalões abaixo. 

Por isso, quem não se sente preparado para atender às demandas da empresa em que atua deve buscar rapidamente elementos para melhorar sua produtividade. Estudar, aprender, observar, dedicar-se. Veja a mudança como um processo de crescimento. É optar por isso ou ficar para trás. 


leia também

As críticas on-line são realmente importantes para as empresas? - Chen Jin, pesquisador da Wharton, mostra de que maneira os sistemas de avaliação podem afetar os negócios na internet

Conheça oito ferramentas para controlar desempenho - Elas podem ser excelentes motivadoras para seus funcionários

Saiba quem são os tigres do Sul - AMANHÃ vai apontar as 100 empresas emergentes de melhor performance no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul

“Excelente!” ou seria...“terrível”? - Não, Trip Advisor e afins não são pesquisas de satisfação

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: