Que tal um salário anual mínimo de R$ 213 mil?

Price, CEO da Gravity, foi motivado pelos ganhadores do Prêmio Nobel de psicologia

Por Infomoney

Que tal um salário anual mínimo de R$ 213 mil?

O que você faria se o seu chefe decidisse aumentar o salário mínimo pago pela empresa para mais de R$ 17 mil por mês? Os funcionários da Gravity Payments ficaram um pouco atônitos quando o CEO Dan Price (foto) anunciou,  no início desta semana, que iria aumentar o salário médio anual da empresa de US$ 48 mil para um mínimo de US$ 70 mil (R$ 146,4 mil e R$ 213,5 mil, de acordo com a cotação do dólar em 16 de abril). Isso equivaleria a um salário mensal de R$ 17.791. Segundo informações do jornal The New York Times, a ideia surgiu quando Price leu um artigo dos ganhadores do Prêmio Nobel de psicologia, Angus Deaton e Daniel Kahneman. O texto relacionava bem-estar, felicidade e renda demonstrando que quem recebia abaixo de US$ 70 mil por ano era infeliz.

Por isso ele resolveu surpreender a equipe de 120 pessoas. Ao todo, os salários de cerca de 70 funcionários ligados às áreas de vendas e atendimento ao cliente, irão aumentar, afirmou o porta-voz da empresa Ryan Pirkle. A pequena empresa de processamento de pagamentos de Price tem uma postura incomum em relação ao mercado de trabalho norte-americano. Os Estados Unidos têm uma das maiores disparidades salariais do mundo, com altos executivos ganhando cerca de 300 vezes mais do que o trabalhador médio, de acordo com estimativas de alguns economistas.  "A diferença de mercado para um CEO em comparação com uma pessoa normal é ridícula", afirma Price. E não é preciso ser nenhum pesquisador de Princeton ou Harvard para saber que os funcionários estão mais felizes. “Meu queixo simplesmente caiu. Isso vai fazer diferença para todos ao meu redor”, afirmou Phillip Akhavan, colaborador da equipe de relações comerciais da empresa que até então recebia US$ 43 mil (cerca de R$ 131,1 mil) por ano.



leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: