Panfácil Alimentos inaugura nova planta na região Sul

Fábrica de Canoas demandou aporte de R$ 28 milhões

Da Redação

redacao@amanha.com.br

A Panfácil Alimentos, empresa do Grupo Estrela, anuncia inovações no mercado industrial brasileiro de pães congelados. Ao inaugurar a nova fábrica em Canoas (RS), a marca torna-se potencial parceira nacional de redes de supermercados e padarias, tendo capacidade instalada de 3,6 mil toneladas por mês de pães e lanches congelados de diversos tipos. O investimento total do Grupo Estrela chegou a R$ 45 milhões ao longo dos últimos quatro anos. Além da construção da nova unidade dos pães, o valor foi destinado à ampliação e à modernização do Moinho Estrela, entre outras melhorias em todo o grupo. Somente na linha de produção da Panfácil, inaugurada nesta quinta-feira (1), foram aplicados R$ 28 milhões. 

A nova planta tem um espaço de 15 mil metros quadrados junto à área do Moinho, que tem 30 mil metros quadrados. A inauguração da unidade representa um avanço no conceito de negócio do pão francês, o carro-chefe da linha de produção. A partir da inauguração, a Panfácil poderá produzir exclusividades para grandes redes de supermercados, que demandam volumes em altas escalas. “A Panfácil recebe diretamente do Moinho Estrela sua principal matéria-prima: a farinha de trigo. As mesclas de alto padrão desse ingrediente foram estrategicamente pensadas para atender às necessidades da linha de produção e de seus mais de 70 itens”, comenta Bernardo Pretto (foto), diretor comercial da operação de pães congelados da Panfácil. 

Ao longo dos últimos quatro anos de planejamento até a inauguração da unidade de congelados, os executivos e os sócios do Grupo Estrela, que vai completar 50 anos em 2017, confirmaram tendências que já eram percebidas por eles no Brasil e no exterior. “Produzir alimentos com eficiência nos processos e sem elevar custos é um desafio enorme. No caso dos pães, o modelo de negócio baseado nos congelados [que chegam ao varejo prontos para descongelar, assar e vender] significa atender a um mercado em expansão”, observa Jaime Pretto, diretor do grupo. Segundo ele, o varejo de pães passa por um momento econômico complexo, pois, além da exigência de uma mão de obra especializada e escassa, há estruturas e equipamentos que requerem um investimento planejado e difícil, mesmo para grandes empresas. “A visão e a perspectiva de que o mercado de pães congelados no Brasil ainda vai crescer muito se confirma diante do alto índice de vendas que temos, apesar do cenário de recessão”, comemora Pretto. 

A marca de pães congelados Panfácil completará 18 anos em 2017. Desde 1999, é responsável pelo abastecimento para redes de supermercados e padarias da região Sul. “Antes mesmo de inaugurar a nova fábrica já tínhamos 100% da unidade antiga produzindo. Durante a construção dessa nova linha, já previmos espaços e infraestrutura suficientes para duplicá-la quando necessário. Nossa estimativa é de que isso ocorra em cinco anos”, confirma Ivete Pretto, diretora industrial da companhia. 

leia também

Alimentando o mundo em desenvolvimento - Uma nova Revolução Verde dará conta da demanda?

O papel do Sul no futuro da alimentação mundial - PR e RS devem responder por 34% da produção de grãos na safra 2014/15

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: