IGP-M tem alta de 11,49% em 12 meses

O índice é usado para o reajuste de aluguel em todo o país

Por Agência Brasil

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), calculado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), registrou alta de 11,49%, nos últimos 12 meses. No acumulado de 2016, a variação foi de 6,25%. Em agosto, o IGP-M ficou em 0,15%, pouco abaixo do registrado em julho (0,18%). O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência. O índice é usado para o reajuste de contratos de aluguel em todo o país.

A taxa de variação do Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) foi de 0,04% em agosto, enquanto em julho ficou em -0,01%. O índice relativo aos Bens Finais variou 0,15% em agosto e, em julho, 1,41%. Contribuiu para este recuo o subgrupo alimentos processados, cuja taxa de variação passou de 3% para 0,27%. Excluindo-se os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, o índice de Bens Finais acusou variação de 0,22%. Em julho, a taxa foi de 1,22%.

O índice do grupo Bens Intermediários variou -0,36% e em julho foi de 0,28%. O principal responsável foi o subgrupo materiais e componentes para a manufatura (0,29% para -0,76%). O índice de Bens Intermediários, calculado após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, variou -0,5%, ante 0,27%, em julho.

Índices com variação
O índice do grupo Matérias-Primas Brutas variou 0,34%, em agosto. Em julho, o índice teve variação de -1,96%. Os itens que mais contribuíram para o movimento foram milho em grão (-11,19% para 5,27%), minério de ferro (-9,17% para 3,21%) e laranja (-4,50% para 5,12%). Em sentido oposto, destacam-se soja em grão (-3,68% para -8,51%), bovinos (0,59% para -1,7%) e café em grão (4,99% para -0,2%).

Segundo a FGV, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,4% em agosto ante 0,29%, em julho. Das oito classes de despesas que compõem o índice, seis acusaram acréscimo nas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Alimentação (0,44% para 0,66%).


leia também

Alimentos ajudam a reduzir inflação em novembro - Em 12 meses, o IPCA acumula taxa de 6,9%, bem abaixo dos 7,8% de outubro

Alimentos pressionam e inflação volta a subir - IPCA já acumula alta de 8,74% nos últimos doze meses

Ano novo, vida nova? Nem tanto - O cenário econômico brasileiro deve permanecer instável em 2016

Aumento da gasolina fez inflação avançar em outubro - No acumulado desde janeiro, o índice teve elevação de 8,4%

Banco Central indica corte menor de juros - Copom também prevê fim gradual do ciclo de reduções

Banco Central projeta inflação de 4% para este ano - Se a estimativa se confirmar, IPCA ficará abaixo do centro da meta

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: