Mercado volta a avaliar venda da Braskem

Cinco companhias estariam interessadas no negócio

Da Redação

redacao@amanha.com.br

A proximidade de um acordo de leniência da Odebrecht na Operação Lava Jato está fazendo com que alguns agentes financeiros comecem recolocar a Braskem na lista de ativos prioritários à venda da Petrobras. A informação é da edição desta terça-feira (30) do jornal Valor Econômico. A Petrobras tem como meta vender US$ 15 bilhões em ativos entre 2015 e 2016 com o objetivo de reduzir a alavancagem. 

Na visão do mercado, o acordo de leniência, que está mais próximo de acontecer, facilitaria a venda da fatia da Petrobras, uma vez que um dos obstáculos à alienação do ativo é o fato da Odebrecht, uma das controladoras da Braskem, ser investigada pela Lava Jato. Haveria ao menos cinco interessados na fatia da Petrobras na Braskem, que tem unidade no Polo Petroquímico de Triunfo (foto), no Rio Grande do Sul. “A canadense Brookfield, a Saudi Arabian Oil, a China National Offshore Oil Corporation (CNOOC) e as americanas Dow e ExxonMobil são as candidatas”, revela a reportagem. Até o meio-dia, as ações da Braskem já acumulavam valorização de 4,8%. 

O desinvestimento por parte da Petrobras na Braskem faz todo o sentido, pois a estatal precisa focar seu core business do que em outros ativos. A participação da Petrobras, hoje, a valor de mercado totaliza R$ 5,3 bilhões – o que ajudará no seu plano de desinvestimentos e redução da dívida da companhia. Procurada pela publicação, a Petrobras e a Braskem não comentaram a informação. 


leia também

A governança precisa ser mais que corporativa - O país deve debater para evitar que o governo destrua o valor de empresas

A prosperidade de psicanalistas e criminalistas - Os desdobramentos das operações em curso vão escancarar certos porões onde só rara vez entrou a luz solar

Ação da Braskem segue quebrando recordes - Alta do dólar e queda dos preços do petróleo beneficiam empresa

Ações da Braskem seguem em queda por Lava Jato - Os papéis desvalorizaram mais de 5% nesta quinta-feira

Ações da Petrobras fecham abaixo de R$ 5 pela primeira vez em 13 anos - O Ibovespa encerrou o dia no menor nível desde março de 2009, no auge da crise do crédito imobiliário nos EUA

Acordo de leniência da Braskem avança - No ano passado, a petroquímica iniciou investigações internas

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: