Rede Saúde acelera expansão no Sul e em São Paulo

Grupo paranaense pretende ter 100 unidades até 2020

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Com um aporte de R$ 25 milhões do Grupo Catuaí, a rede de clínicas Dr. Sul, rebatizada de Rede Saúde e que tem o grupo paranaense como sócio majoritário, acelera o plano de expansão. A companhia prevê ter dez unidades em operação no Paraná até dezembro. Neste ano o foco é no mercado paranaense. Atualmente são quatro unidades em funcionamento: duas em Curitiba e outras duas em Londrina. Em setembro será inaugurada mais uma unidade da rede em Curitiba. Maringá receberá sua primeira unidade no final deste ano. A Rede Saúde chegará também em Cascavel e Foz do Iguaçu. 

O grupo projeta uma média de 300 mil atendimentos neste ano com dez clínicas em funcionamento. Serão cerca de 150 funcionários, além da extensa rede de médicos credenciados. Em 2017, outras 15 clínicas serão abertas no Paraná, Santa Catarina e São Paulo, somando 25 unidades. O plano de expansão é ambicioso: em quatro anos, pretende somar 100 pontos de atendimento espalhados pelo Brasil. 

A Rede Saúde é um modelo de negócios que tende a ser o futuro da saúde no país, diante da ineficiência e precariedade do Sistema Único de Saúde (SUS) e dos altos custos da rede privada. Desde o ano passado, mais de 1,6 milhão de brasileiros perderam seus planos de saúde, seja em função de desemprego ou corte no orçamento familiar. Nessa lacuna é que cresce o mercado de clínicas populares, com grande oferta de especialidades para agendamento na mesma semana. 

O grupo paranaense oferece uma rede de clínicas particulares sem qualquer tipo de vínculo ou pagamentos mensais. O cliente paga apenas pelo serviço que recebe – seja consulta ou exame. “O atendimento é um dos nossos diferenciais. Buscamos estar perto do paciente para entender suas necessidades”, afirma Bruno Khouri, diretor da Rede Saúde.  As consultas custam a partir de R$ 79. Ultrassonografias são feitas a partir de R$ 90. Exames laboratoriais e de imagem seguem a mesma política de preços – muito inferiores aos de mercado. 


leia também

À procura da saúde perdida - Eis que começam a chegar as faturas de quase seis décadas vividas longe de médicos

Grupo Diagnósticos do Brasil expande para o Nordeste - Laboratório paranaense investirá R$ 50 milhões na unidade

Medicina e jeitinho - Não há palavra mais comum nos consultórios do Nordeste do Brasil do que "encaixe"

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: