Santa Catarina lança Associação Brasileira de Internet Industrial

Entidade, que é uma iniciativa da Fiesc, Pollux e Embraco, pretende criar soluções tecnológicas integradas

Da Redação

redacao@amanha.com.br

O que um refrigerador inteligente, que permite controlar a validade dos produtos e mostra receitas com os itens armazenados, tem a ver com o Waze, aplicativo que a partir de informações geradas em smartphones ajuda a evitar engarrafamentos no trânsito? As duas inovações são frutos da internet industrial, que une máquinas inteligentes, análise avançada e a criatividade das pessoas para gerar profundas transformações e trazer grande eficiência para setores industriais diversos, como manufatura, transporte, energia e cuidados com a saúde. Essa nova revolução tecnológica promete um forte crescimento econômico, a geração de mais e melhores empregos e a elevação dos padrões de vida da população.  A internet industrial também está presente em linhas de montagens automotivas, sistemas de geração e distribuição de energia, centros hospitalares, monitoramento de manutenções e condições de funcionamento, comunicação entre plantas industriais. 

Numa iniciativa da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) em parceria com a Pollux Automation e a Embraco, será instalada nesta quarta (10) a Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII).  O lançamento será realizado às 19h30, na sede da Associação Empresarial de Joinville (Acij). O evento prevê a participação de 200 representantes dos setores público e privado, academia e outras entidades. Entre os principais objetivos da ABII estão a divulgação e o fortalecimento da internet industrial no Brasil, a criação de um fórum permanente de discussões sobre o tema, o intercâmbio tecnológico e de negócios com parceiros internacionais e a promoção do desenvolvimento econômico e geração de novos empregos. Após a apresentação da nova entidade e de seus objetivos, os fundadores irão mostrar como poderá ser feita a filiação das empresas, os ganhos que a iniciativa trará para o crescimento e fortalecimento da internet industrial no Brasil, além de apresentar o concurso para criação da identidade visual. Também será realizada a posse da primeira diretoria da ABII.

O presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, entende que a internet industrial está mudando a forma com que as empresas se relacionam dentro de uma cadeia de suprimentos, desde o fornecedor da matéria-prima até o cliente final. “Ela permite que uma grande quantidade de dados, antes apenas coletados, sejam tratados e organizados para gerar informações úteis para a tomada de decisão. “Aderir aos conceitos da internet industrial não é uma opção, mas um requisito da competitividade da indústria e do País”, afirma Côrte, para quem esta nova onda da revolução industrial está promovendo inúmeras mudanças na sociedade e no mundo do trabalho.

Análises recentes indicam o potencial de criação de um mercado de até US$ 15 trilhões até 2031. Gigantes globais, novas empresas de tecnologia, universidades e institutos de pesquisa trabalham fortemente para vencer um a um os inúmeros desafios técnicos, incluindo o atingimento de um nível de segurança viável para troca de informações sensíveis e a criação de padrões e referências que garantam a interoperabilidade entre diferentes tipos de máquinas e dispositivos.

Inspiração em consórcio internacional
A criação da Associação Brasileira de Internet Industrial é inspirada no consórcio internacional (Consórcio de Internet Industrial - IIC) criado em 2014 nos Estados Unidos, com o mesmo fim, pela AT&T, IBM, GE e Intel, e do qual a Pollux Automation de Joinville é uma das duas empresas brasileiras presentes. O consórcio já conta com cerca de 250 associados de mais de 30 países. O IIC é um consórcio internacional aberto, sem fins lucrativos, que está definindo a estrutura de arquitetura e as direções para a internet industrial. A missão do consórcio é coordenar as vastas iniciativas do ecossistema que irá conectar e integrar objetos com pessoas, processos e dados utilizando arquiteturas comuns, interoperabilidade e padrões abertos.

A intenção de transformar Joinville em capital brasileira da internet industrial surgiu em um dos painéis da Expogestão 2016 sobre o tema. “Joinville já teve sua economia pautada na indústria tradicional e viveu o florescimento e  expansão da tecnologia da informação. A cidade agora tem a oportunidade de ser protagonista no mundo da internet industrial”, provocou na ocasião José Rizzo Hahn Filho, presidente da Pollux Automation e um dos painelistas da Expogestão. Rizzo afirma que a internet industrial está gerando uma ampla gama de dados. “A tecnologia reduziu a latência de informação para que máquinas e pessoas tomem decisões mais rápidas e se tornou de baixo custo”, reitera Rizzo que será o primeiro presidente da entidade. 

A Embraco, líder mundial em tecnologia para refrigeração e parceira do Senai e da Pollux de longa data, busca estar sempre à frente em projetos relacionados à inovação e competitividade. “O mais importante para o fortalecimento e desenvolvimento do tema e da ABII é o envolvimento de cada vez mais empresas e instituições, de segmentos diferentes, estimulando a troca de conhecimento”, destaca Luciano Borges Lopes, gerente global sênior de TI na Embraco. Na multinacional do setor de compressores, a discussão sobre como incentivar a internet industrial começou há, pelo menos, quatro anos e continua atual e importante. “O tema muda a forma como nos relacionamos com as pessoas, com os dados e com nossos clientes.  Entendemos a ABII como uma oportunidade de discutir e compartilhar os desafios, aprendizados e iniciativas para inspirar o uso da tecnologia embarcada em produtos”, reforça.  Lopes lembra que Joinville não é somente um polo industrial, mas também, é cada vez mais um polo de tecnologia, com talentos formados na região. “Com isso é possível reunir muito conhecimento sobre o tema na cidade, evoluindo para um processo de aprendizado e desenvolvimento que abranja todo o país”, garante.

Como integrar a ABII
A admissão de associados se dará por meio de proposta de filiação do interessado e estará sujeita à avaliação e decisão da diretoria da ABII. O custo para integrar a entidade varia de acordo com a modalidade do associado: Fundador, Mantenedor, Honorário e Contribuinte. Para se associar, a empresa ou entidade deverá preencher um formulário de proposta de adesão que será disponibilizado na internet. Para mais informações os interessados podem ligar para 0800 606 0800. As primeiras reuniões da ABII serão realizadas na Softville até a realocação para a sede definitiva. A diretoria terá um mandato de dois anos, permitida a reeleição, e composta por até sete diretores. Entre eles serão eleitos o presidente, vice-presidente, secretário, tesoureiro e três diretores. A primeira diretoria terá como presidente José Rizzo Hahn Filho, presidente da Pollux Automation, vice-presidente, André Marcon Zanatta, diretor do Instituto Senai de Inovação em Sistemas de Manufatura, e diretor, Luciano Borges Lopes, gerente global sênior de TI na Embraco. O secretário será Marcus Silva, da SST Advogados e o tesoureiro Luiz Jung, da Moore Stephens. Os demais membros da diretoria serão definidos até o final do ano.


leia também

As inúmeras lições da Operação Carne Fraca - Glauco Côrte analisa a ação que afetou o setor agroindustrial

Carta une Federações de Indústrias do Sul - 1º Fórum Sul-Brasileiro de Relações do Trabalho debateu reforma

Conselho prorroga mandato da atual diretoria da Fiesc até 2018 - O objetivo é alinhar o fim da gestão com o período eleitoral da CNI

Embraco anuncia novo presidente - Luis Felipe Dau assume cargo em março

Embraco estuda refrigerador sem compressor - Empresa catarinense quer dominar nova tecnologia

Exportadores catarinenses estimam aumento nos embarques em 2016 - Estudo da Fiesc também revela a urgência de incentivar a produção de bens que demonstram maior dinamismo nas importações

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: