Bancos temem perder espaço para fintechs

PwC revela que 76% das instituições financeiras se sentem ameaçadas

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Com lucros que ultrapassam facilmente a casa do primeiro bilhão, os bancos dominam a cena do setor financeiro mundial. Mas não é que pequenas empresas têm ameaçado este protagonismo? É o que indica a pesquisa “Customers in the spotlight”, da consultoria PwC, indica. Três entre cada quatro bancos entrevistados (76%) afirmaram temer que parte de seus negócios sejam ameaçados pela atuação das fintechs, como são conhecidas as empresas de tecnologia de serviços financeiros. Os principais receios dos bancos estão na perda de market share e nas margens pressionadas que as fintechs podem provocar.

Normalmente as fintech se diferenciam pelas facilidades de serviços proporcionadas pela tecnologia e pela internet, de forma menos burocrática e com menores custos para os usuários. Para a PwC, esses novos agentes vieram para transformar o mercado financeiro. “[São] entrantes não apenas em serviços ao consumidor no senso tradicional, mas que entendem e atendem suas demandas com o desenho e a entrega de produtos dinamicamente diferentes”, afirmam no estudo os especialistas da PwC. 

A ameaça faz com que 42% das empresas entrevistadas invistam em parcerias com as finTechs. Ainda assim, a PwC destaca que os bancos precisam simplificar suas ofertas e ouvir as opiniões dos clientes. Afinal, a pesquisa revela que os consumidores procuram conveniência, personalização de atendimento, acessibilidade e facilidade de uso das ferramentas disponibilizadas pelas instituições financeiras – características onde as fintechs se destacam. “Eles [os consumidores] querem sentir que os bancos estão antecipando suas necessidades, não os bombardeando com ofertas de produtos. Eles querem transparência e nenhuma surpresa em relação às taxas”, indica o relatório da PwC. 

A PwC ouviu 544 banqueiros de 46 países, sendo 14% da América Latina.


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: