Sompo Seguros pretende crescer 20% ao ano no Sul

O foco, segundo Vidigal Filho, é expandir a atuação em transporte e automóvel

Por Dirceu Chirivino

dirceu@amanha.com.br

Ao mesmo tempo em que anunciou ao mercado do Sul sua mudança de marca, a Sompo Seguros [antiga Yasuda Marítima] também revelou a estratégia para ganhar terreno na região. A empresa do Grupo Sompo Holdings, um dos maiores do segmento do Japão, pretende crescer 20% ao ano nos Estados do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul até 2020. Se as projeções se concretizarem, a empresa deve praticamente dobrar sua operação na região no período. O foco é expandir a atuação principalmente nos ramos de transporte, automóvel e vida. 

Francisco Caiuby Vidigal Filho (foto), presidente do braço brasileiro da multinacional, vê como boa oportunidade de negócios o mercado brasileiro de seguros de automóveis. “O brasileiro cuida tanto do seu automóvel como o japonês de um bonsai”, comparou, em uma palestra nesta terça-feira (12), na sede da Federação das Associações Comerciais do Rio Grande do Sul (Federasul), em Porto Alegre.  

Entre janeiro e junho, Vidigal Filho adiantou que apólices empresariais e de transporte foram as modalidades de seguro mais demandas na região. Do Paraná para baixo, a Sompo faturou R$ 206,7 milhões no primeiro semestre – avanço de 14,8%. Dos 18 mil corretores ativos, 5 mil estão no Sul.  No Brasil, a companhia obteve uma receita de R$ 2,7 bilhões no ano passado.  Para atingir a meta de crescimento anual, a Sompo já fez investimentos em tecnologia, que propiciarão ganho em termos de eficiência e economia de recursos. 


leia também

"Eu quero ter uma vida como a sua" - A que optei por levar pode até suscitar uma ou outra reação de admiração, mas o contrário é mais corrente

A era dos carros sem “charme” - Será esta a característica dos veículos elétricos e dos autodirigidos?

Aniversário - Nada é tão belo quanto enfrentar a vida com desassombro e combatividade

Brasil registra deflação de 0,09% em agosto - Passagens aéreas ajudam a puxar queda do IPCA no mês

Brasileiro prefere mudar de emprego para ficar mais perto de casa - Pesquisa mostra trabalhadores de Porto Alegre e Curitiba como os menos dispostos à mudança

Caos nas calçadas - Pela primeira vez em anos, começo a achar que o mundo do automóvel é a quintessência da civilidade

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: