Salton apresenta nova estrutura empresarial

Vinícola centenária reforça governança e divulga trocas na diretoria

Por Marcos Graciani

graciani@amanha.com.br

A governança corporativa ganha corpo na estrutura empresarial da Vinícola Salton. Para manter o crescimento, uma composição dinâmica e contemporânea foi proposta na última assembleia de acionistas. O conceito se refere à tomada de decisões e ao controle da distribuição dos resultados de maneira transparente para acionistas e funcionários. “Por muitos anos, mantivemos uma estrutura tradicional. Agora, com um trabalho de gestão realizado nos últimos anos, trazemos mudanças para dar agilidade, eficiência e inovação ao processo. Passamos a ter uma estrutura jovem, para acompanhar o ritmo do mercado e incentivando a inovação”, explica Daniel Salton (na foto, ao centro), presidente da vinícola. O objetivo é criar valor a longo prazo, preservando o equilíbrio entre os interesses da companhia, acionistas e colaboradores com base em boas práticas administrativas.

Para isso, dois novos diretores e dois responsáveis-técnicos passam a integrar o organograma da empresa que completará 106 anos em agosto. Com a saída de Lucindo Copat da direção técnica, após mais de três décadas de dedicação e excelência no trabalho executado [o estatuto da empresa prevê aposentadoria compulsória aos 65 anos], as responsabilidades, até então atreladas a esse cargo, passam a ser direcionadas a três áreas específicas e independentes, com seus respectivos líderes. Marcos Paulo Flamia, na companhia desde 2006, é o novo diretor industrial júnior e gerenciará os setores de engarrafamento, qualidade, suprimentos e logística – nas unidades de Bento Gonçalves (RS) e Jarinu (SP). 

O responsável-técnico Luciano Salton, enólogo com 37 anos de experiência na empresa, responderá pelos setores de enologia e elaboração. Maurício Copat, com seis anos de vinícola, atuará como responsável técnico do departamento agrícola, à frente de toda a estrutura de vinhedos próprios, assim como pelo relacionamento com fornecedores de matéria-prima. Na área administrativa, Marcelo Cavalet Lucchese, há sete anos na Salton, assume a função de diretor administrativo júnior. Ainda integram o quadro diretivo Maurício Salton, nas operações, Cleber Slaifer, no comercial, e Luciana Salton, como diretora executiva. Dentro da nova estrutura, Lucindo Copat atuará como consultor externo, participando do Comitê de Gestão, além de auxiliar os departamentos técnicos com orientações, pesquisas e inovações.

“Dentro do setor vitivinícola, somos uma grande empresa, queremos uma imagem global. Queremos mostrar a nossa identidade também fora do país. Inovação, produtos de qualidade, sistemas e projetos são pré-requisitos globais. Além do pioneirismo, gostamos de desafios, de evoluir, de ver sonhos e ideias colocadas em prática na busca pelo sucesso. A meta é manter a liderança dos espumantes e crescer no mercado de vinhos. Lançar produtos de extrema qualidade, com inovações de cortes e sabores que trazem resultados e experiências marcantes, e superar níveis de controle qualidade. Queremos ser a vitrine do Brasil”, projeta Daniel Salton.



leia também

A recuperação judicial sob o viés do investidor - Palestra em Porto Alegre nesta sexta-feira (16) tem inscrições gratuitas

A responsabilidade da gestão é ainda maior na saúde - Para Pizzato, da Unimed POA, zika é reflexo de falta de planejamento

A superação de crise das empresas requer uma equipe - Para Telmo Schoeler, o grupo deve elaborar plano de ações corretivas

A vez da inteligência na cadeia de suprimentos - A rentabilidade pode até aumentar – mesmo em tempos de crise

As inúmeras vantagens do “preço dinâmico” - Um estudo mostra que tarifas variáveis beneficiam o consumidor

As micromultinacionais e como elas definirão nossa era - Como as empresas pequenas entram em mercados globais

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: