Como encontrar o primeiro emprego sem crise

É preciso investir na apresentação de um bom currículo

Por Bernt Entschev

Procurar emprego em tempos de crise não é fácil. As vagas diminuíram consideravelmente nos últimos meses. Some-se ao cenário o fato de que a abertura de novos postos é lenta e pontual. Para quem não tem experiência e busca seu primeiro emprego, o desafio é ainda maior. Jovens normalmente entram no mercado de trabalho por três vias: os cargos operacionais, os estágios e os trainees. Mas como se destacar e não perder oportunidades? 

Para começar, é preciso investir na apresentação de um bom currículo. Como não têm experiência, os jovens podem destacar suas atividades acadêmicas. Para quem busca um cargo operacional, ter feito um curso técnico já é um bom começo. Se não foi esse o caso, pode colocar habilidades aprendidas na escola, como trabalhos em grupo, respeito ao cumprimento de prazos e tarefas desenvolvidas que tenham a ver com a vaga pretendida. No caso de estágios, atividade comum entre universitários, o currículo deve trazer matérias realizadas e relacionadas com a área de atuação em vista. Da mesma forma, tarefas cumpridas que envolvam trabalhos em grupo ou liderança, como cargos em centros acadêmicos, participação em pesquisas, monitoria ou iniciação científica. No caso dos trainees, além do já indicado para estagiários, o currículo deve revelar habilidades que possam ser utilizadas na empresa, incluindo fluência em línguas estrangeiras. A desenvoltura intelectual e emocional para lidar com situações de trabalho também será considerada. 

Com um bom currículo, é hora de distribuí-lo adequadamente. É possível pesquisar na web empresas da área de interesse e encontrar o ícone “Trabalhe Conosco” ou similar. Ali é possível verificar a existência de vagas em aberto. Além disso, as redes sociais podem ser aproveitadas ao pesquisar os perfis das empresas e também utilizando sua rede de contatos para divulgar que está em busca de uma colocação. E não esqueça das agências de empregos, pois elas oferecem relação de vagas em aberto.  Aliás, aqui cabe uma orientação: cuide do que publica na sua rede social. Ela provavelmente vai ser fonte para um futuro empregador. Portanto, nada de apologia ao álcool ou drogas, comentários preconceituosos ou fotos em situações que possam comprometer sua imagem profissional. Para trainees, uma dica a mais: fique atento nas dinâmicas de grupo incluídas na seleção.

O próximo passo, naturalmente, é a entrevista de emprego. É importante preparar-se não apenas na aparência, mas também estudando sobre a empresa e pensando em boas respostas para as questões. Elaborar perguntas que demonstrem interesse em saber mais sobre a organização e a função a ser desempenhada também pode ajudar. Se você não for escolhido, tenha em mente que tudo é um aprendizado. Persista. Continue se aperfeiçoando para construir um bom histórico. Tente cursos rápidos e dirigidos à área pretendida. E busque novas oportunidades. Afinal, toda empresa tem interesse em descobrir um jovem talento.


leia também

"Carnaval à vista" - Embora reconheça a exuberância da festa carioca, é para o eixo Recife-Olinda que se voltam meus afetos

A necessidade de controlar a internet nas empresas - O mau uso pode causar até mesmo demissão por justa causa

A profissão onde o salário pode ser de até R$ 100 mil - Síndicos profissionais administram vários condomínios ao mesmo tempo

A tragédia brasileira - Consola saber, contudo, que o que não falta é trabalho

A utilidade da reforma trabalhista - Patrões e empregados devem tentar transformar as novas regras em algo que seja útil à carreira de cada brasileiro

Agosto tem perda de 86,5 mil empregos, informa Caged - Esse é o pior resultado para o mês em 20 anos

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: