Taxa que reajusta aluguel chega a 12,2% em 12 meses

Índice Geral de Preços do Mercado, o IGPM, variou 1,6% em junho

Por Agência Brasil

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), usado no reajuste de alugueis, variou 1,69% em junho. No mesmo mês do ano passado, a variação foi de 0,67%. Em 12 meses, o IGP-M registrou alta de 12,21%. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou taxa de variação de 2,21%. No mês anterior, a taxa foi de 0,98%. O índice relativo aos bens finais variou 1,65%, em junho. Em maio, este grupo de produtos teve variação de 0,21%.

A variação do grupo Bens Intermediários foi de 1,48%. Em maio, a taxa foi de 0,38%. O principal responsável por este movimento foi o subgrupo materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa de variação passou de 0,71% para 2,79%.

O grupo Matérias-Primas Brutas variou 3,66% em junho. Em maio, o índice registrou variação de 2,64%. Os itens que mais contribuíram para esse movimento foram soja em grão (12,38% para 14,82%), bovinos (-2,28% para 0,36%) e suínos (-5,13% para 16,31%). Em sentido oposto, destacam-se minério de ferro (3,98% para -3,56%), algodão em caroço (3,48% para -6,06%) e milho em grão (7,93% para 5,65%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,33% em junho, ante 0,65%, em maio. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice tiveram decréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Saúde e Cuidados Pessoais (2,21% para 0,67%).

Nessas classes de despesa, os destaques foram frutas (3,27% para -6,69%), cigarros (5,88% para 2,74%), gasolina (0,04% para -1,18%) e tarifa de telefone móvel (0,45% para 0,24%). Em contrapartida, apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos habitação (0,38% para 0,69%), educação, leitura e recreação (-0,13% para -0,03%) e vestuário (0,64% para 0,7%).

O Índice Nacional de Custo da Construção registrou variação de 1,52% em junho, acima do resultado de maio, de 0,19%. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços teve variação de 0,26%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,04%. O índice que representa o custo da mão de obra registrou taxa de 2,64%. No mês anterior, esse grupo variou 0,32%.


leia também

Alimentos ajudam a reduzir inflação em novembro - Em 12 meses, o IPCA acumula taxa de 6,9%, bem abaixo dos 7,8% de outubro

Alimentos pressionam e inflação volta a subir - IPCA já acumula alta de 8,74% nos últimos doze meses

Ano novo, vida nova? Nem tanto - O cenário econômico brasileiro deve permanecer instável em 2016

Aumento da gasolina fez inflação avançar em outubro - No acumulado desde janeiro, o índice teve elevação de 8,4%

Banco Central indica corte menor de juros - Copom também prevê fim gradual do ciclo de reduções

Banco Central projeta inflação de 4% para este ano - Se a estimativa se confirmar, IPCA ficará abaixo do centro da meta

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: