Efeitos do Brexit estão sendo contidos, afirma Goldfajn

Presidente do BC avalia que cenário global é desafiador

Por Agência Brasil

Os efeitos de curto prazo da decisão dos britânicos de sair da União da Europeia estão sendo contidos, mas há incertezas sobre o crescimento global futuro, avaliou o presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn (foto). “Acredito que o cenário global é desafiador. Vamos enfrentar volatilidade e choques aos longos dos anos. O choque mais recente é o chamado Brexit [saída dos britânicos da União Europeia]”, declarou Goldfajn. 

O presidente do BC afirmou que o Brexit traz implicações principalmente no comércio e no crescimento global. “Ainda não estão totalmente mapeadas a consequências para o futuro. Há que se observar o impacto no mundo e por consequência no Brasil. Deve reduzir, de alguma forma, o crescimento global e pode influenciar o crescimento no Brasil”, avaliou. Goldfajn reiterou que os bancos centrais de 60 países, reunidos no último final de semana, se comprometeram a monitorar os efeitos do Brexit e usar instrumentos que forem necessários.

Barack Obama
O presidente norte-americano Barack Obama fez um apelo por cautela ao mercado financeiro internacional. "Tem havido um pouco de histeria após a votação pró-Brexit, como se a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) estivesse se dissolvendo e como se cada país [do bloco europeu] estivesse correndo para seu próprio canto. Mas não é isso o que está acontecendo”, lembrou Obama em declaração à NPR, uma rede de emissoras públicas dos Estados Unidos.

Para Obama, o atual momento serve para analisar a integração do bloco europeu. "A melhor maneira de se pensar sobre o momento atual é que um botão de pausa foi pressionado no projeto de integração europeia”, reiterou. O presidente dos Estados Unidos acrescentou que chegou o momento de a Europa tomar um fôlego e descobrir como pode manter algumas identidades nacionais. Segundo Obama, é hora de se perguntar como manter os benefícios da integração e como lidar com algumas frustrações que os próprios eleitores estão sentindo.


leia também

A austeridade funciona ou só piora as coisas? - Gregos não tiveram opção a não ser aceitar mais medidas austeras

A fratura celta - Se a Europa não for condescendente, movimentos separatistas poderão eclodir em vários países

As causas do risco sistêmico e como fazer para evitá-las - Brexit revela que a decisão de um país pode ter implicação no mundo todo

As graves consequências da saída do Reino Unido da UE - Decisão causará entrave ao crescimento econômico

Brexit: a vitória do populismo extremista de direita - O ex-embaixador Jorio Dauster relaciona o resultado ao erro dos estadistas em não admitir o salto do populismo radical

Britânicos estão divididos entre ficar ou sair da UE - Desembarque do bloco terá sérias consequências para o emprego do país

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: