Como demitir com ética e respeito

Empresas que respeitam seus colaboradores adotam bons procedimentos

Por Bernt Entschev

Uma empresa pode demitir um funcionário por várias razões – seja por incompetência ou falta de comprometimento, por exemplo. Também pode ser em razão de problemas de relacionamento ou mesmo devido à chegada de tecnologias que tornaram obsoleta a função. Seja qual for o motivo, a demissão afetará o empregado. Na América Latina, esse impacto é ainda maior do que em países ditos desenvolvidos. Os latinos são mais emotivos e o trauma de perder o emprego é ainda mais significativo. Tendo por base esses parâmetros, um bom líder tem de se preparar para reduzir da melhor forma possível tamanho impacto. Empresas que respeitam seus colaboradores adotam bons procedimentos que descrevo a seguir. 

Nunca demitir nas sextas-feiras
Desse modo, a pessoa não passará o final de semana remoendo o assunto. Se for em uma segunda-feira, ela terá a semana inteira para se organizar, pensar em alternativas e tomar medidas práticas.

Jamais desligar o funcionário no retorno das férias
Já vi situações como essas várias vezes e sempre entendo como uma enorme falta de consideração. Afinal, o empregado pode ter viajado e feito dívidas tendo segurança de que teria seu emprego na volta. 

A demissão sempre deve vir do chefe imediato
Nunca se deve fazer por carta, telegrama ou mesmo RH. Lembro de um conhecido que chegou à empresa e o crachá não passou na catraca. A recepcionista acionou o sistema e ali constava que ele não fazia mais parte do quadro laboral. Ou seja, é como se ele tivesse sido demitido pela recepcionista. 

O chefe deve se preparar
Se recomenda pensar no que vai dizer, como vai dizer e também assumir a postura correta, de acordo com o momento e os motivos da demissão.Não é fácil demitir alguém, mas essa situação faz parte da vida corporativa.

Explicar o motivo da demissão
Seja breve e objetivo. A pessoa estará abalada e não assimilará um longo discurso.

Explicar os benefícios que o colaborador tem direito
Depois disso, encaminhá-lo ao departamento de Recursos Humanos para as providências necessárias. Algumas companhias oferecem aos funcionários o suporte de uma assessoria para recolocação. Esse suporte propicia que a pessoa pense em novas possibilidades, monte um bom currículo e faça um planejamento financeiro para o período. 


leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

"Carnaval à vista" - Embora reconheça a exuberância da festa carioca, é para o eixo Recife-Olinda que se voltam meus afetos

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A estabilidade do funcionalismo público é mesmo necessária? - O tema é particularmente importante no contexto de ajuste fiscal, avalia Zeina Latif

A necessidade de controlar a internet nas empresas - O mau uso pode causar até mesmo demissão por justa causa

A profissão onde o salário pode ser de até R$ 100 mil - Síndicos profissionais administram vários condomínios ao mesmo tempo

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: