Transações bancárias com celulares dobram em um ano

Em 2015 já eram 33 milhões de contas ativas com o recurso mobile

Por Agência Brasil

As transações bancárias por celulares e tablets tiveram crescimento de 138% em 2015, ao chegar a 11,2 bilhões de operações, ante as 4,7 bilhões em 2014, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira (31) pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Segundo a pesquisa, as movimentações bancárias feitas por internet banking e mobile banking atingiram 54% do total. O estudo contou com a participação de 17 bancos, 93% dos ativos do setor no país.

Segundo o estudo, o internet banking foi o canal responsável pelo maior número de transações no ano passado, com 33% do total (17,7 bilhões). O mobile banking foi o segundo canal preferido com participação de 21% no total de operações. Em 2015 já eram 33 milhões de contas ativas com o recurso mobile, 32% a mais do que no ano anterior.

Segundo o diretor setorial de Tecnologia e Automação Bancária da Febraban, Gustavo Fosse, um dos fatores que explicam esse crescimento está relacionado com o fato de os bancos funcionarem como indutores de inovações tecnológicas da indústria, com a preocupação de trazer comodidade aos clientes. “Outro fator é o crescimento do acesso à internet no Brasil, que já está acessível para 56% da população. O uso de smartphones também tem contribuído para o aumento”.

A pesquisa mostrou ainda que o Brasil ocupa o 7º lugar em investimentos em tecnologia da informação no setor bancário. Em 2015, a soma desses investimentos totalizou R$ 19,2 bilhões, dos quais 44% destinados a software, 35% a hardware e 20% a telecom. Mesmo assim o número foi mais baixo do que o registrado em 2014: R$ 21 bilhões. Os dados ainda revelam que o total de transações feitas em agências, pontos de venda no comércio, autoatendimento e correspondente foi de 23,6 bilhões, 45% do total.


leia também

A TI aplicada às finanças se tornará realidade? - Bancos investem para evitar que as start-ups ganhem fatia de mercado

Agiplan lança plataforma com tecnologia disruptiva - De acordo com Marciano Testa, o Agipag elimina intermediários

Banco Central propõe regras para as fintechs - Instituição abre consulta para regulamentar financeiras digitais

É quase uma alquimia ter baixa exposição ao risco - Opinião é de Marciano Testa, presidente do Banco Agiplan

Fintech Creditas inicia busca por parceiros off-line - Felipe Zullino comanda a empresa que empresta dinheiro a 1,1% ao mês

Os bancos em tempos de WhatsApp - Banrisul promove evento internacional sobre tecnologia no setor

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: