Existe vinho perfeito?

Gigantes da crítica mundial vivem o constante desafio de encontrar produtos únicos

Por Julio Gostisa*

Outro dia eu estava conversando com apaixonados pelo mundo do vinho e me questionaram se eu já tinha provado algum rótulo perfeito com 100 pontos de Robert Parker. Comecei a pensar no conceito do que faz um vinho ser ou estar perfeito a ponto de receber nota máxima na escala de qualquer crítico de vinhos. Seria mais ou menos um selo de comprovação de que aquele vinho não poderia ser melhor, tinha alcançado a perfeição. 

Teria sido o avaliador influenciado pelo seu paladar, pela harmonização, pelo clima do dia em que provou ou até mesmo pelo grupo de pessoas que estavam com ele naquele momento? Ou até mesmo se tratar de uma pessoa muito generosa ou apaixonada por um certo tipo de vinho e uva? Seria possível um vinho não ter defeitos ou falhas?

Depois de muitas garrafas, conclui que gigantes da crítica mundial de vinhos são tão profissionais que não procuram falhas, mas sim vivem o constante desafio de encontrar resultados de análises sensoriais e produtos únicos. Isso acontece, mas é raro. O próprio Parker deve ter pontuado com nota máxima e estrelinha menos de 600 vinhos na vida. E por esse motivo normalmente os vinhos com tamanha pontuação são extremamente caros – como, por exemplo, Chateau Pontet Canet e Chateau Latour, ambos da safra 2009, que ficam na casa de milhares de dólares. Ambos são perfeitos no conceito de vários críticos famosos.

Mas nem tudo está perdido. Na semana passada, provei o vinho Suyai (R$ 145), também da safra 2009. Ele é produzido pela vinícola Terra Andina, do Chile, e naquele dia estava perfeito,  na minha opinião! O enólogo passou anos testando, experimentando diversas uvas e cortes até chegar nessa beleza de vinho chileno. Ele tem aromas fortes de frutas maduras, mineral e pimentão verde levemente misturados, mas com final persistente. Sugiro harmonização com costela suína acompanhado de molho barbecue. Lembrem-se: percepção é seletiva. Busquem os vinhos perfeitos para seu bolso e para seu gosto. By the way, o Suyai recebeu 93 pontos de Parker e 100 meus.

*Diretor de Circulação do Grupo Sinos.



leia também

A arte do vinho na tela do computador - Alguns canais do YouTube para quem deseja aprender

ABS-RS inicia fase de captação de sócios - Entidade também lotou as vagas para a formação da quinta turma de Sommeliers

Aprenda a tomar vinho com Christian Grey - Personagem de Cinquenta Tons de Cinza tem algo a ensinar

Bento Gonçalves anuncia projeto para fomentar turismo de incentivo - Capital Nacional do Vinho lança guia de atividades para empresas que desejam bonificar funcionários com viagens

Brasil: massificar ou elitizar o vinho? - A resposta pode vir da China, conforme relata Milton Pomar, no artigo a seguir

Conhecer vinhos pode ser algo muito divertido - Prova disso é um jogo de tabuleiro lançado pelo consultor Celio Alzer

comentarios




Lúcio

Sem dúvidas, o momento em que vivemos faz toda a diferença na percepção de tudo na vida, inclusive na do vinho que tomamos. O mesmo vinho é percebido diferente quando estamos num restaurante com a familia, num bate-papo com amigos ou quando estamos sozinhos. Boa reflexão, Julio.

Comentar

Adicione um comentário: