Senado aprova admissão do impeachment de Dilma

Foram 55 votos favoráveis e 22 contrários

Da Redação

redacao@amanha.com.br

O presidente do Senado, Renan Calheiros, anunciou às 6h34 desta quinta-feira (12) o resultado da sessão que se estendeu por quase um dia. Os senadores aprovaram por 55 votos a favor e 22 contrários à continuação do processo de impeachment de Dilma Rousseff por crime de responsabilidade. Apenas o presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), optou por não votar.

Cada senador teve até 15 minutos para discursar. Seguindo o rito, ainda se pronunciaram o relator do processo, Antonio Anastasia, favorável à admissibilidade do impeachment, e o ministro José Eduardo Cardozo, da Advocacia-Geral da União (AGU), que defendeu a permanência de Dilma. Por essa razão, a sessão de debates e votação da abertura do processo de afastamento se prolongou pela madrugada de quinta. Diferentemente da Câmara, no plenário do Senado não houve orientação das lideranças anteriormente à votação.


leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A JBS sai das cordas - Se está patente que o Brasil tende a soçobrar numa turbulência amarga, os irmãos Batista deverão sobreviver bastante bem

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A vingança de Camões - Massacrar o português não é passaporte para o sucesso. É só um atentado civilizacional

Ações da Braskem seguem em queda por Lava Jato - Os papéis desvalorizaram mais de 5% nesta quinta-feira

Aécio Neves é alvo de operação da Polícia Federal - STF determina afastamento do Senador e do deputado Rocha Loures

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: