Aprenda a tomar vinho com Christian Grey

Personagem de Cinquenta Tons de Cinza tem algo a ensinar

Por Marcos Graciani

graciani@amanha.com.br

Relendo a saga escrita por E. L. James, procurei me deter nos detalhes mais imperceptíveis – como a relação de Christian Grey e Anastasia Steele com o mundo dos vinhos. Notem que ele dá o pontapé inicial no romance oferecendo um vinho branco (aliás, tipo de bebida entusiasticamente defendida por outras sábias conhecedoras desse setor como a Jessica Marinzeck. Leia o post clicando aqui e veja o vídeo aqui). 

Grey escolheu nada mais que um Pouilly Fumé, um Sauvignon Blanc do Vale do Loire, na França. "Não entendo nada de vinho, Christian. Tenho certeza que é ótimo", respondeu Ana. "Ele me entrega uma taça de vinho. Até as taças são chiques... pesadas, de cristal moderno. Dou um gole, e o vinho é leve, gelado e delicioso", resume a apaixonada Anastasia mais adiante. "Dou um bom gole no vinho. Estou parecendo muito mais corajosa do que na verdade me sinto", confidenciou nossa irrequieta Ana três páginas adiante. Eu não opino sobre mais nada nesse ponto. 

Em um restaurante que serve uma carta de vinhos decente, Grey oferece para a encantadora Ana um bom rótulo, é claro. "O Pinot Grigio daqui é um vinho honesto. Vai harmonizar bem com a refeição, seja ela qual for", referendou ele. Depois do vinho, é servida uma deliciosa sopa de urtiga enquanto o casal tergiversa sobre o sexo baunilha da noite anterior – aliás, tido pela protagonista gosto de brownie de chocolate com calda quente (daí se entende como o universo dos sentidos pode ser tão elástico). A garçonete recolhe a entrada e volta com um prato de carne de cervo. "Estou meia tonta por causa do vinho", confidencia Ana colocando a culpa na bebida pelos seus excessos amorosos. 

Em outro local, onde se encontram para debater o contrato de relacionamento, Grey pede Sancerre que acompanhou ostras frescas em leito de gelo. Em meio a uma discussão sobre aceitar ou não presentes depois da formatura de Ana, Grey abre um Bollinger Grande Année Rosé 1999, de excelente safra. "Como você ficou tão entendido em vinho?", questionou ela. "Eu não sou entendido, Anastasia. Só sei do que gosto", respondeu. Aliás, o champanhe deixou Ana muito ousada. Em casa, na cozinha, ambos bebem Chablis. 

O livro tem 89 citações envolvendo vinho ou champanhe. Se a obra de James não passa de um romance aguado, pelo menos Grey brinda os leitores com ótimas referências sobre a bebida. Realmente ele sabe do que gosta. 


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: