Paraná acerta renegociação da dívida com a União

Governo estadual economizará R$ 16 milhões por mês

Por Agência Brasil

O governo do Paraná acertou a renegociação de sua dívida com a União. O termo aditivo de revisão foi assinado nesta terça-feira (12) pelo governador do estado, Beto Richa, em Curitiba. O pagamento, que era reajustado pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), mais 6% ao ano, passa a ser corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mais 4% ao ano, e será retroativo a 2013. 

Com a renegociação, a dívida do Paraná, de R$ 9,8 bilhões, será reduzida em R$ 466,8 milhões. O governo estadual também fará uma economia mensal de R$ 16 milhões nas parcelas pagas à União. A origem da dívida remete a um empréstimo de R$ 5,6 bilhões da União ao Paraná, em 1998. Segundo o governo paranaense, no ano passado, o estado já havia pago R$ 13,5 bilhões, mas ainda devia R$ 9,8 bilhões. 

"O antigo indexador elevou exponencialmente as dívidas com a União, o que sufocava as finanças estaduais", afirmou o governador Beto Richa. Ele garantiu que o capital economizado com a renegociação será investido em áreas prioritárias para a população.


leia também

Bancos elevam para R$ 104 bilhões estimativa do déficit primário - Sondagem do Ministério da Fazenda prevê que a dívida bruta deve passar de 74,3% do PIB neste ano

Barbosa teme impactos da mudança no cálculo de juros da dívida dos estados - Edson Fachin mediará reunião entre governadores e o ministro da Fazenda para embasar decisão final do STF

Câmara adia votação do projeto que socorre Estados - A análise da proposta ficou para a próxima segunda-feira

Câmara aprova renegociação das dívidas estaduais - No RS, governo extingue 8 fundações em pacote para reduzir o Estado

Cármen Lúcia debate crise financeira e guerra fiscal com governadores - Nova presidente do STF pediu para que os Estados busquem um acordo que acabe com a disputa tributária

Congresso aprova projeto que altera meta fiscal de 2016 - O texto autoriza o governo federal a fechar o ano com um déficit primário de até R$ 170,5 bilhões nas contas públicas

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: