BM&FBovespa fecha em alta após Fed descartar elevar juros

Atuação do Banco Central faz o dólar comercial subir

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Notas de dólares

O Ibovespa fechou esta terça-feira (29) em alta de 0,6% aos 51.155 pontos. O índice chegou a subir 1,82% com o discurso da presidente do Fed, Janet Yellen, que afastou a possibilidade de uma elevação nos juros americanos no curto prazo. O dólar comercial subiu 0,38%, encerrando a R$ 3,6392. O movimento do mercado de câmbio local descolou da queda do dólar frente às principais moedas emergentes no exterior, após a declaração de Yellen. 

A presidente do Fed declarou ser apropriado que o banco central norte-americano mantenha uma postura cautelosa com relação a aumentos de juros, vendo um aumento dos riscos no cenário externo. Em dezembro, o Fed elevou o juro básico americano da faixa entre zero e 0,25% para o intervalo entre 0,25% e 0,5%. Em meio ao ambiente externo mais favorável a ativos de risco e a menor demanda por hedge cambial, o Banco Central brasileiro tem aproveitado para reduzir a posição em contratos de swap cambial tradicional, que somam US$ US$ 106,7 bilhões. A autoridade monetária interrompeu na segunda-feira (28) a rolagem dos US$ 10 bilhões em contratos de swap cambial que vence em abril, devendo renovar apenas 68,6% do lote.

Por enquanto, o mercado segue influenciado pelo cenário político e pela expectativa de mudança de governo, que tem pressionado para uma valorização do real. Nesta terça, o PMDB anunciou oficialmente a saída do governo, como esperado pelo mercado, reforçando as apostas no impeachment da presidente Dilma Rousseff. 


leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A crise no terceiro parceiro comercial do Sul - Casa Rosada anuncia pacote econômico. Indústria brasileira começa a evitar vendas a prazo na Argentina

A JBS sai das cordas - Se está patente que o Brasil tende a soçobrar numa turbulência amarga, os irmãos Batista deverão sobreviver bastante bem

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A vingança de Camões - Massacrar o português não é passaporte para o sucesso. É só um atentado civilizacional

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: