Megaprotestos varrem o país pelo combate à corrupção

No Sul, cerca de 700 mil pessoas se manifestaram contra o governo federal

Da Redação

redacao@amanha.com.br

6 milhões de brasileiros protestam contra governo federal

As manifestações de apoio ao combate à corrupção, contra o governo federal e a favor do impeachment mobilizaram mais de 500 cidades pelo país neste domingo (13). A maioria delas foi organizada pelo Movimento Vem pra Rua ou pelo Movimento Brasil Livre. Cerca de 6,4 milhões de manifestantes, segundo os organizadores, e 3 milhões, de acordo com as estimativas das polícias estaduais, foram às ruas. Em 15 de março do ano passado foram, no total, 2,5 milhões de pessoas.

No Sul, cerca de 50 cidades registraram protestos. Dados preliminares revelam que cerca de 700 mil pessoas se manifestaram. A maior delas foi em Curitiba, onde 200 mil pessoas se reuniram no centro da capital paranaense. Londrina, no norte do Estado, teve 90 mil participantes. Em Santa Catarina, 30 municípios tiveram manifestações. Blumenau reuniu o maior número de participantes (60 mil), seguida por Florianópolis (50 mil), Jaraguá do Sul (36 mil) e Joinville (30 mil). Em Porto Alegre foram 140 mil (segundo os organizadores) e 100 mil (de acordo com a PM). Em Caxias do Sul, na serra, foram 30 mil manifestantes enquanto Santa Maria reuniu 20 mil pessoas.

Embora desaconselhados pelo governo federal, para não gerar possíveis conflitos com os protestos de 13 de março, eventos de apoio a Dilma e Lula também ocorreram no Rio de Janeiro, São Bernardo do Campo (SP) e Porto Alegre. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) marcou para a próxima sexta-feira (18) manifestações "em defesa da democracia" em todo país. "A liberdade de manifestação é própria das democracias e por todos deve ser respeitada. O caráter pacífico das manifestações ocorridas neste domingo demonstra a maturidade de um país que sabe conviver com opiniões divergentes e sabe garantir o respeito às suas leis e às instituições", declarou, em nota, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.


leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A estabilidade do funcionalismo público é mesmo necessária? - O tema é particularmente importante no contexto de ajuste fiscal, avalia Zeina Latif

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

A superfície e as profundezas da economia - Retomada poderá ser difícil dada a situação financeira empresarial

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: