Mercados digerem cenário político com cautela

Bovespa fecha praticamente estável em sessão volátil

Por Infomoney

bolsa

Após abrir a sessão de sexta-feira em queda, com o mercado avaliando as consequências do pedido de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Ministério Público de São Paulo, a Bovespa teve um dia de volatilidade, fechando praticamente estável, a 49.638 pontos. Já o dólar comercial abriu operando entre perdas e ganhos, até manter variação negativa ao longo do dia, fechando com queda de 1,39%, cotado a R$ 3,59.

Na quinta-feira, o noticiário político impulsionou a Bolsa nos últimos minutos do pregão, mas falas de juristas e até de membros da oposição de que o pedido do MP não tem embasamento esfriam os ânimos dos investidores. Além de Lula, nesta sexta-feira, a aproximação do vice-presidente Michel Temer e do presidente do PSDB, Aécio Neves (MG), influencia o mercado. 

O vice-presidente do PSDB, Carlos Sampaio, disse que o pedido de prisão preventiva de Lula é uma medida "inusual" e não tem embasamento jurídico sólido. "Aguardar o julgamento é correto, mas não é porque temos divergências políticas que vou querer para ele algo diferente do que quero para qualquer cidadão", concluiu o deputado. O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, foi outro que se negou a referendar a ação, dizendo que não há fundamentos que autorizem o pedido.


Lupatech dispara após fato relevante

As ações da Lupatech subiram forte nesta sexta-feira após fato relevante divulgado pela manhã, informando que o diretor presidente e diretor de relações com investidores, Ricardo Doebeli, e o seu consultor, Rafael Gorenstein, confirmaram a aquisição, individualmente, de créditos contra a companhia e de algumas de suas subsidiárias, nos valores respectivos de R$ 15.653.955,97 e R$ 12.807.782,16. Próximo ao fechamento, as ações da companhia eram cotadas a R$ 2,70, uma alta de 147,7%.


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: