Lucro do Banrisul cresce ancorado nos serviços

Seguros e consórcios ajudaram banco a ter ganho de R$ 848,8 mi

Por Laura D'Angelo

laura.cauduro@amanha.com.br

Banrisul

Depois de experimentar um primeiro semestre de números pouco animadores (leia aqui), o Banrisul deu a volta por cima e encerrou 2015 com um crescimento de 22,8% no lucro líquido na comparação com o ano anterior, com um total de R$ 848,8 milhões. Em um ambiente menos favorável ao crédito, a recuperação nos resultados foi garantida, principalmente, pelo bom desempenho da receita com prestação de serviços e tarifas bancárias. 

O aumento de preços e a elevação de juros, além da menor atividade econômica no país, tiveram reflexo nas operações de crédito e na capacidade de pagamento por parte dos clientes do Banrisul. A carteira total de crédito cresceu 5% (R$ 32 milhões) na comparação com ano passado, abaixo do esperado pelo banco. Enquanto isso, a inadimplência subiu 1,17 ponto percentual entre janeiro e dezembro de 2015. Luiz Gonzaga Mota, presidente da instituição, prevê que a demanda por crédito permanecerá contida este ano, pois pessoas físicas e jurídicas não estão planejando novos investimentos nem novos negócios. “Os gestores de banco precisam ter cuidado com o crédito, não dá para avançar. É preciso ter cautela”, alertou ele que não prevê crescimento maior de 4% na carteira em 2016. A poupança do Banrisul foi outro recurso que sentiu a recessão econômica brasileira. O volume depositado diminuiu em 2,5%, ficando em R$ 7,57 bilhões.

Para compensar o baixo ritmo do crédito, Mota afirmou que o Banrisul continuará trabalhando fortemente na evolução de receitas de serviços, que incluem cartões, seguros e consórcio. A receita com este item no ano passado foi de R$ 1,44 bilhão, um aumento de 20,8%. A maior parte deste valor é referente à rede de adquirência e à emissão de cartões, que chegaram a R$ 749,4 milhões. O lucro de R$ 160,8 milhões da Banrisul Cartões já representa 19% do total do banco. Outra área que deve engordar os resultados de serviços da estatal gaúcha neste ano é a de seguros. Em dezembro, a Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovou a lei que autoriza o banco a atuar na distribuição de seguros, previdência aberta e capitalização. No momento, a corretora do Banrisul está em estruturação, mas deve começar a operar ainda no primeiro semestre de 2016. Nos doze meses do ano passado, a receita com seguros foi de R$ 168,6 milhões, incremento de 38,8%.

O resultados financeiro do Banrisul foi considerado “razoavelmente bom” por Mota dentro das circunstâncias que desestabilizaram a economia no ano passado. Segundo o presidente, o banco poderia ter alcançado R$ 1 bilhão de lucro líquido não fossem as despesas de provisão de mais de R$ 700 milhões direcionadas às empresas em recuperação judicial. No total, as despesas administrativas sofreram uma elevação de 10,6% (R$ 3 bilhões) sendo a maior parte destinada aos custos com pessoal. Mota ainda destacou o esforço na contenção de despesas que estão sob o controle do banco. “Renegociamos contratos com fornecedores e diminuímos as propagandas”, detalhou ele. Os gastos, nesse caso, aumentaram 3,6%. Já o patrimônio líquido alcançou R$ 6,2 bilhões.




leia também

A superfície e as profundezas da economia - Retomada poderá ser difícil dada a situação financeira empresarial

Anefac: juros sobem pelo 16º mês seguido - Bancos elevam taxas para compensar aumento da inadimplência

As seguradoras serão atropeladas pela tecnologia? - Jovens da Geração Y esperam uma abordagem mais agressiva do segmento

Bancos se unem para criar empresa de análise de crédito - BB, Bradesco, CEF, Itaú e Santander trocarão dados de clientes

Banrisul emitirá R$ 2 bilhões em letras financeiras - Valor foi tomado por empréstimo por ex-governador

Banrisul lucra R$ 188 mi no primeiro trimestre - O resultado foi favorecido por receitas de serviços e tarifas

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: