Inflação dos produtos na saída da fábrica fecha 2015 em 8,8%

Vinte e uma das atividades da indústria da transformação tiveram alta

Por Agência Brasil

Vinte e uma das 23 atividades das indústrias da transformação apresentaram alta nos preços

A inflação dos produtos na saída das fábricas, medida pelo Índice de Preços ao Produtor (IPP) fechou 2015 com uma taxa de 8,8%. Em 2014, o IPP registrou alta de preços de apenas 2,6%. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As indústrias extrativas fecharam o ano com uma deflação (queda de preços) de 9,3%, enquanto nas indústrias da transformação a inflação chegou a 9,4%.

Vinte e uma das 23 atividades das indústrias da transformação pesquisadas pelo IBGE apresentaram alta nos preços em 2015, com destaque para fabricação de outros equipamentos de transporte (33,6% de inflação), produtos de fumo (32%), celulose, papel e produtos de papel (21,2%) e produtos alimentícios (14,2%).

Entre as grandes categorias de uso, a maior inflação foi observada nos bens de capital (12,3%), seguidos de bens de consumo semi e não duráveis (9,6%), bens intermediários (8,3%) e bens de consumo duráveis (6,1%). Apesar da alta da inflação em relação a 2014, o IPP terminou 2015 em tendência de queda, com deflações registradas nos últimos dois meses do ano: novembro (-0,4%) e dezembro (-0,3%). A queda de preços em dezembro foi sentida nas indústrias extrativas (-6%) e nas indústrias de transformação (-0,1%).


leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A balança da produção está mudando – de novo - Karen Reddington, CEO da FedEx Ásia Pacífico, avalia mapa global da indústria

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A estabilidade do funcionalismo público é mesmo necessária? - O tema é particularmente importante no contexto de ajuste fiscal, avalia Zeina Latif

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: