Crise é aliada da Oi para ganhar corpo no segmento corporativo

Companhia quer crescer com soluções que ajudem empresas a reduzir custos

Por Laura D'Angelo

laura.cauduro@amanha.com.br

Oi Catia

Se há algo positivo na crise é que ela tem impulsionado a busca por eficiência e corte dos gastos nas empresas. E a Oi quer aproveitar este momento para mostrar que pode ser a melhor amiga das corporações na redução de custos com os serviços de TI e dados que oferece. A gigante da telecomunicação brasileira tem alcançado bons resultados de vendas no setor corporativo – em 2015 a receita cresceu 20% – e espera mais um ano positivo, apostando na demanda crescente do mercado por soluções que melhorem a produtividade. 

Para 2016, por exemplo, a Oi projeta num aumento de até 50% das vendas no segmento de pequenas e médias empresas (PMEs). Desde o ano passado, aliás, as PMEs estão sendo o foco de crescimento da companhia, que adaptou o portfólio às necessidades dos clientes. “Eles querem planos simples, que caibam no bolso, e previsibilidade do valor na conta ao final do mês”, revela Cátia Tokoro (foto), nova diretora de negócios B2B. Como resultado, no final de 2015,  a Oi lançou o plano Mais Empresas, com um modelo de preço determinado por linha (fixo, celular ou banda larga), para atrair clientes que não queiram lidar com diferentes cobranças por uso ou excedentes.

Para alcançar tal incremento nas vendas, além do novo portfólio customizado às PMEs, a Oi lançou um novo canal de venda e relacionamento com o cliente totalmente digital através de um aplicativo. A companhia também está reforçando os canais de vendas atuais (franquias e televendas), expandindo em 50% a equipe de vendedores até o final do primeiro trimestre deste ano. Nas pequenas empresas, Cátia acredita que há um grande potencial para atrair novos clientes, pois são 11 milhões de CNPJs ativos no Brasil que cada vez mais buscam por soluções de comunicação por preços acessíveis. 

Já para as grandes e médias empresas, a Oi espera aumentar o número de serviços contratados pela atual base de clientes, principalmente de serviços de TI. Desde 2012, a companhia mantém a rotina de lançar uma solução de TI voltada ao mercado corporativo a cada trimestre. A primeira deste ano será a de telepresença. Outro foco da Oi para este ano é o desenvolvimento de projetos de internet das coisas (IoT). “No segundo trimestre, lançaremos nossos primeiro produtos de IoT”, antecipa Cátia. Em 2015, a Oi anunciou uma parceria com a Nokia Networks para o desenvolvimento de soluções para agronegócio, saúdes e casas e cidades inteligentes

A região Sul, aponta Cátia, terá papel fundamental para o sucesso da estratégia de crescimento desenhada pela Oi para este ano. “O Sul é bem importante para os resultados de B2B”, afirma a executiva. A receita em TI e dados cresceu 5,6% nos três estados no terceiro trimestre de 2015 na comparação com mesmo período do ano anterior. 



leia também

A responsabilidade social nos países emergentes - Iniciativas sociais por parte das empresas estão mais comuns

Aumento de empresas inadimplentes perde força - Abrandamento ocorre devido ao crédito restrito

Bancos e cartões de loja são vilões da inadimplência - Carnê, cartão de crédito e cheque especial completam a lista

Benner apresenta nova unidade em Curitiba - Grupo catarinense deve gerar 100 novos empregos na cidade

Benner inaugura Centro de TI em Blumenau - Grupo aportou R$ 10 milhões na ampliação

Bruce Martins: tributação de incentivo fiscal dado a empresas é espoliação - O advogado tributarista analisa as manobras da União para tributar créditos de ICMS

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: