O que muda na nova carteira do Ibovespa?

BTG indica ações que devem sofrer pressão de compra e venda

Por Infomoney

O que muda na nova carteira do Ibovespa?

No dia 1º de abril, o mercado conhecerá a primeira das três prévias da nova carteira do Ibovespa, que entrará em vigor no 2º quadrimestre do ano (entre maio e agosto). Como as mudanças na composição do principal índice de ações da BM&FBovespa costumam ter impacto imediato nas ações alvo de revisão, muitos analistas e bancos tentam se antecipar a essas alterações.

É o caso do Citi e do BTG Pactual: ambos acreditam que a Smiles (SMLE3) deva entrar no índice, mas eles divergem sobre quais outras mudanças podem ocorrer. O BTG, aliás, também fez um cálculo de quais ações poderão sofrer uma maior pressão compradora ou vendedora, tendo como base as mudanças na participação das empresas dentro do Ibovespa. O levantamento do BTG mostra que as ações que terão mais pressão compradora são Smiles (SMLE3), Embraer (EMBR3) e BRF (BRFS3). Já as que podem sofrer um maior peso vendedor são Ultrapar (UGPA3), Ambev (ABEV3) e Bradesco ON (BBDC3). 

A "pressão" ocorre em razão de que muitos fundos de ações pretendem apenas acompanhar ou superar marginalmente o Ibovespa. Por isso, esses fundos precisam ter uma carteira muito parecida com o índice - e qualquer novidade obriga os gestores a rebalancearem seus portfólios. Dados recentes da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) mostram que a soma do patrimônio líquido de todos os fundos Ibovespa Ativo (cujo objetivo é superar a performance do índice) e Ibovespa Passivo (objetivo de acompanhar o índice) da indústria brasileira chega a R$ 15 bilhões.

 

Maiores vencedores e perdedores nas mudanças do Ibovespa

Ticker 

Setor 

Peso atual

Novo peso*

Variação

 EMBR3 

 Aviação

 1,76%

 2,18%

 0,42 p.p.

 BRFS3 

 Alimentos e bebidas

 3,47%

 3,88%

 0,42 p.p.

 SMLE3 

 Aviação

 0,00%

 0,32%

 0,32 p.p. 

 ITUB4 

 Bancos

 11,17%

 11,32%

 0,15 p.p.

 VIVT4 

 Telcomunicações

 1,50%

 1,64%

 0,14 p.p.

 CIEL3 

 Cartões

 3,57%

 3,70%

 0,13 p.p.

 BBDC4 

 Bancos

 8,70%

 8,81%

 0,12 p.p.

 TIMP3 

 Telcomunicações

 1,07%

 1,16%

 0,09 p.p.

 BBAS3 

 Bancos

 2,29%

 2,35%

 0,06 p.p.

 ITSA4 

 Bancos

 3,69%

 3,74%

 0,05 p.p.

 ESTC3 

 Educacionais

 0,61%

 0,57%

 -0,04 p.p.

 CCRO3 

 Infraestrutura

 1,67%

 1,62%

 -0,05 p.p.

 SBSP3 

 Energia e saneamento

 0,77%

 0,71%

 -0,06 p.p.

 CMIG4 

 Energia e saneamento

 1,15%

 1,08%

 -0,07 p.p.

 VALE5 

 Mineração

 3,80%

 3,72%

 -0,08 p.p.

 VALE3 

 Mineração

 3,00%

 2,92%

 -0,09 p.p.

 BBDC3 

 Bancos

 1,61%

 1,51%

 -0,09 p.p.

 JBSS3 

 Alimentos e bebidas

 2,74%

 2,59%

 -0,15 p.p.

 UGPA3 

 Química

 2,75%

 2,50%

 -0,25 p.p.

 ABEV3 

 Alimentos e bebidas

 7,89%

 7,23%

 -0,66 p.p.

*Projeção do BTG Pactual



leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: