NCH Capital sugere compra de ações da BRF

Diversificação global é uma das virtudes da empresa

Por Infomoney

Unidade da Brasil Foods

O investimento em bolsa no Brasil não tem vivido bons momentos nos últimos anos. O Ibovespa, principal índice de ações do país, amargou resultado negativo pelo terceiro ano consecutivo em 2015. No entanto, ainda existem ações que conseguem, mesmo em meio à crise, apresentar excelentes resultados. James Gulbrandsen, sócio gestor da NCH Capital, revela qual a melhor estratégia a adotar na bolsa neste ano. “O melhor é jogar na defesa em 2016 e não no ataque”, diz. Gulbrandsen acredita que o cenário atual depende dos desdobramentos políticos em Brasília e, com isso, a melhor alternativa é escolher papéis resilientes e que sofram menos com incertezas. 

Entre as ações que fazem parte desse perfil, Gulbrandsen aponta a catarinense BRF (foto). “Ela tem muito para valorizar no atual cenário econômico e tem diversificação global. Além disso, a ação pode diversificar a exposição da carteira do investidor, com um foco maior no câmbio, uma vez que a empresa, que é exportadora, se beneficia com o dólar mais valorizado em relação ao real”, enumera. Outro papel que o gestor destaca é o da Raia Drogasil (RADL3). A companhia, que marcou forte alta na bolsa no ano passado, provou que consegue crescer em qualquer cenário, mesmo que ele seja difícil.

Em relação ao cenário mundial, Gulbrandsen crê que um dos grandes focos será na desaceleração da economia chinesa. “Eu seguiria evitando setores de materiais, mineração e siderurgia”, recomenda. Gulbrandsen ainda aposta que o dólar acumulará mais altas neste ano.


leia também

Agora quem não quer sou eu - E quando a empresa pisa na bola e compromete a imagem da celebridade que a endossa?

Alexandre Almeida comandará a BRF no Brasil - Companhia catarinense também anunciou outras mudanças

Brasil Foods cria subsidiária para mercados muçulmanos - A Sadia Halal poderá atuar em países ainda não atendidos pela empresa

Brasil Foods investe US$ 16 milhões na Malásia - Companhia quer expandir presença no sudeste asiático

Brasil Foods, a queridinha dos fundos de investimento - Empresa catarinense atrai 75% do total aportado no setor de alimentos

Brasil pode perder até R$ 2 bi por escândalo da carne - AEB leva em conta a redução de preços e a perda de mercado

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: