Cade aprova saída da Mitsubishi da Ecovix

Por cerca de dois anos, o consórcio manteve 30% do capital da companhia

Por Dirceu Chirivino

dirceu@amanha.com.br

Cade aprova saída da Mitsubishi da Ecovix

Respingos da crise da Petrobras levaram a Mitsubishi a romper a parceria com a Ecovix, controladora do Estaleiro Rio Grande (foto). Por cerca de dois anos, o consórcio liderado pela Mitsubishi Heavy Industries (MHI), formado pelas empresas japonesas Mitsubishi Corporation, Imabari, Namura e Oshima Shipbuilding, do segmento de construção naval, manteve participação de 30% do capital da Engevix Construções Oceânicas. Os japoneses investiram US$ 300 milhões na companhia. O Estaleiro Rio Grande, estabelecido na cidade do mesmo nome, tem acordos com a Petrobras para produzir oito cascos de plataformas para exploração do pré-sal. 

O contrato com a estatal brasileira prevê também a construção de três sondas de perfuração para a Sete Brasil, companhia criada para gerir serviços de exploração do pré-sal. O alto  risco da Sete Brasil pedir recuperação judicial e cancelar as encomendas, levou o consórcio japonês a se afastar do negócio, considerando como perda integral o investimento feito no empreendimento. Em reunião realizada em dezembro, o Conselho Administrativo  de Defesa Economica (Cade) aprovou sem restrições a saída do consórcio e a aquisição de 30% do capital pela holding, a Jackson Empreendimentos, que detinha 70% da Ecovix. 


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: