Banco Central chinês injeta US$ 20 bilhões na economia

É a maior quantidade de recursos aportados desde setembro de 2015

Por Agência Brasil*

Banco Central chinês injeta US$ 20 bi na economia

O Banco Popular da China (PBoC) anunciou nesta terça-feira (5) injeção de recursos no sistema financeiro no valor de 130 bilhões de yuan (US$ 20 bilhões), para reduzir os problemas de falta de liquidez na segunda economia do mundo. A injeção de recursos, a maior desde setembro de 2015, é de curto prazo, com acordos de recompra, em sete dias, no qual a entidade emissora compra valores de bancos comerciais a um preço específico com o compromisso de revendê-los por um preço fixo mais tarde.

A taxa de juros da operação é de 2,25%, igual à aplicada em outra oferta de recursos realizada na semana passada e que atingiu $10 bilhões de yuan (US$ 1,5 bilhões). A medida adotada pelo PBoC busca amenizar os problemas de falta de liquidez de curto prazo, provocados pela redução de novos fundos pendentes em yuan que o Banco de Desenvolvimento da China coloca no mercado, quando os bancos compram moeda estrangeira de seus clientes.



Em novembro, a China registrou uma queda de novos fundos pendentes no valor de $315,8 bilhões de yuan (cerca de US$ 48 bilhões) em relação ao mês anterior. Estes fundos são um importante indicador da entrada e saída de capital estrangeiro e da liquidez em yuan no país.


*Com Agência Lusa.


leia também

15 anos da China na OMC - Poderá o Brasil enfrentar o seu maior parceiro comercial?

A briga dos EUA com a China beneficiará o Brasil? - Os dois países têm estratégias claras e mercados consumidores imensos

A China atenuará o pânico em torno de sua economia? - Preocupação é se o país manterá crescimento abaixo de dois dígitos

A China é economia de mercado, quer queiramos ou não - Não podemos imaginar que ganharemos algo confrontando a maior economia do mundo com argumentos frágeis

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A China rural não existe mais - A mudança do modelo de crescimento econômico continuará elevando as demandas do país mais populoso do mundo

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: