Governo registra pior déficit da história em novembro

Previdência responde pela maior parte do resultado negativo

Por Agência Brasil

Governo Central registra em novembro pior déficit da história. A Previdência Social responde pela maior parte do resultado

O Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) teve em novembro o maior déficit primário da história. As contas da União ficaram negativas em R$ 21,2 bilhões no mês passado, pior resultado para todos os meses desde o início da série histórica, em 1997. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira (28) pelo Tesouro Nacional. Anteriormente, o recorde mensal havia sido registrado em setembro de 2014, quando houve déficit de R$ 20,4 bilhões.

De janeiro a novembro, o déficit primário está em R$ 54,3 bilhões, também o pior da história para o período. O resultado parcial supera o déficit de R$ 17,2 bilhões registrado para todo o ano de 2014, que foi o primeiro resultado anual negativo na história das contas do Governo Central.

A Previdência Social responde pela maior parte do déficit de novembro, com resultado negativo de R$ 14,7 bilhões. O Tesouro Nacional ficou negativo em R$ 6,4 bilhões e o Banco Central teve déficit de R$ 47,4 milhões. No acumulado do ano, a Previdência também registra o maior resultado negativo: está deficitária em R$ 91,3 bilhões de janeiro a novembro.


leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A estabilidade do funcionalismo público é mesmo necessária? - O tema é particularmente importante no contexto de ajuste fiscal, avalia Zeina Latif

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A responsabilidade da gestão é ainda maior na saúde - Para Pizzato, da Unimed POA, zika é reflexo de falta de planejamento

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

comentarios




Cesar Izar

Se o governo não tivesse tanta aposentadoria que extrapola até o entendimento de qualquer letrado, com certeza não estaria no buraco que está! Se continuar assim, a Previdência não vai poder mais sustentar quem efetivamente levou o País às costas por 30 ou 35 anos.

Comentar

Adicione um comentário: