Petrobras e Braskem assinam acordo sobre nafta

O contrato de fornecimento terá validade de cinco anos

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Braskem e Petrobras fecham contrato para fornecimento de nafta

Depois de quase três anos de negociação e cinco aditivos contratuais, a Braskem (foto) comunicou que assinou na quarta-feira (23) com a Petrobras um novo contrato para fornecimento de um volume de 7 milhões de toneladas anuais de nafta por um prazo. A negociação terá validade de cinco anos. O preço estipulado foi de 102,1% tendo por base a referência internacional.

"Ao longo da negociação, a Braskem buscou um acordo de longo prazo que garantisse condições estruturais de competitividade para a indústria química e petroquímica e viabilizasse novos investimentos no setor", relatou a Braskem em nota. A companhia alega que fez várias tentativas, sem sucesso, de sugerir uma fórmula flexível de preço variando de 90% a 110% da referência, de forma a refletir as alterações de cenário que tipicamente acontecem na duração de um contrato de longo prazo. Essa condição, assim como a fórmula existente no contrato anterior, permitiria no atual momento preços entre 100% e 105% da referência internacional, alega a Braskem. "Em função da ausência dessa fórmula de preço, o novo contrato prevê direitos de renegociação de ambas as partes caso determinadas condições de mercado sejam alteradas a partir do terceiro ano do contrato", afirma o comunicado.


"Apesar do novo contrato não refletir integralmente as condições necessárias para garantir a competitividade da indústria química e petroquímica, a Braskem entende ser necessária a sua assinatura de forma a reduzir as graves incertezas que rondam o setor, evitando a paralisação das centrais petroquímicas e considerando o momento difícil da indústria e da economia brasileira", defende a empresa. Entre os investimentos importantes que dependiam da renovação do contrato está a instalação de uma fábrica de borracha sintética pela polonesa Synthos, no Polo Petroquímico de Triunfo (RS).



leia também

Ação da Braskem segue quebrando recordes - Alta do dólar e queda dos preços do petróleo beneficiam empresa

Ações da Braskem seguem em queda por Lava Jato - Os papéis desvalorizaram mais de 5% nesta quinta-feira

Ações da Petrobras fecham abaixo de R$ 5 pela primeira vez em 13 anos - O Ibovespa encerrou o dia no menor nível desde março de 2009, no auge da crise do crédito imobiliário nos EUA

Acordo de leniência da Braskem avança - No ano passado, a petroquímica iniciou investigações internas

As empresas que perderam mais de R$ 1 bi na bolsa - Klabin, Braskem e Weg estão na lista da Economatica, com base em junho

Aumento de combustíveis "é só um paliativo" - Para Flávio Conde, decisão não resolve o problema da Petrobras

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: