Anima Educação chega ao Sul com a aquisição da Sociesc

A companhia arrematou a instituição de ensino catarinense por R$ 150 mi

Por Dirceu Chirivino

dirceu@amanha.com.br

Anima Educação chega ao Sul com a aquisição da Sociesc

A Anima Educação, com sede em Belo Horizonte (MG), chega ao Sul com a aquisição da Sociesc  (foto). A instituição catarinense promove cursos de ensino presencial e a distância e foi criada pela Fundição Tupy, em 1959, em Joinville. A empresa mineira adquirirá os ativos da Sociesc por R$ 150 milhões e ainda pagará mais R$ 30 milhões pelas dívidas da Sociesc. No ano passado, a empresa de Joinville obteve receita líquida de R$ 148,2 milhões e um Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 7,4 milhões.  A operação está sujeita à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência (Cade). 

Referência na área de engenharia, a Sociesc mantém cinco unidades em Santa Catarina e uma em Curitiba. Conta com um total de 15 mil alunos matriculados, sendo cerca de 7 mil  em cursos de graduação presencial, 3,4 mil em cursos de ensino a distância (EAD), 2,5 mil na pós-graduação presencial e outros 2 mil no Pronatec. Com a aquisição, a Anima dobra o número de polos de ensino a distância, modalidade que começa a ganhar espaço dentro das operações da instituição. A Anima surgiu em 2003 e, no final de 2014, contava com 79 mil estudantes matriculados em cursos presenciais em 18 campi localizados em Minas Gerais e São Paulo. 


leia também

Centenas de motivos para comemorar 2015 - A Egali Intercâmbio projeta alcançar R$ 100 milhões de faturamento

Conhecimento para inovar o mundo - Saiba a história da Feevale, case do livro “100 Marcas do Rio Grande”

Eis as 50 cidades mais desenvolvidas do Sul - Firjan revela que Concórdia tem os melhores indicadores

Indústria e educação: dois alicerces chineses - Gigante asiático trabalha para levar o desenvolvimento econômico ao interior

Indústria precisa qualificar 13 milhões de trabalhadores até 2020 - Segundo a CNI, será preciso formar 625 mil profissionais no ensino superior, mas a maior demanda será por técnicos

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: