COP21 aprova acordo histórico sobre o clima

Um fundo será criado para limitar o aquecimento global

Por Agência Brasil

COP21 anuncia acordo histórico para o clima

Representantes de 195 países reunidos na Conferência do Clima (COP21), em Paris, aprovaram no sábado (12) acordo final sobre a redução de emissões de gases de efeito estufa. O acordo prevê a criação de um fundo anual de US$ 100 bilhões, financiado pelos países ricos, a partir de 2020, para limitar o aquecimento global a 1,5°C.

O Acordo de Paris, como foi chamado o documento final da 21ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU) , entrará em vigor em 2020. A cada cinco anos, os países deverão prestar contas sobre as ações desenvolvidas para evitar que a temperatura global não aumente mais de 2 graus Celsius. A redução do aquecimento pretende evitar fenômenos extremos como ondas de calor, seca, cheias, ou subida do nível do mar.

Com a aprovação, o desafio das nações será equilibrar as emissões de gases tóxicos gerados pela ação do homem e os níveis suportados pela natureza. Os países que assinam o documento definiram que as reduções de emissões de gases devem atingir o limite o mais rápido possível, mas não definiram quando o resultado deve ser alcançado. Na conferência, os representantes reconheceram que as nações em desenvolvimento deverão levar mais tempo para atingir as metas definidas.


leia também

Donald Trump anuncia saída do Acordo de Paris - Os EUA respondem por 18% do carbono lançado na atmosfera

Menos dinheiro no bolso e mais carbono no ar - Energia termelétrica inferniza o consumidor e compromete meta brasileira contra emissões

Mundo bate recorde de concentração de dióxido de carbono em 2015 - O gás causador do efeito estufa permanecerá acima desse índice durante 2016, alerta Organização Meteorológica Mundial

Novo pacto climático global desafia COP21 - O Acordo de Paris vigorará em 2020 substituindo o Protocolo de Quioto

Próximo relatório do IPCC terá avaliação negativa sobre metas do clima - Documento avaliará compromisso de impedir aquecimento global maior que 1,5°C até o final do século

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: