Black Friday marcada pela desconfiança

Consumidor pesquisará se os descontos são, de fato, reais

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Consumidor pesquisará se os descontos são, de fato, reais, na Black Friday 2015

Data já conhecida no varejo brasileiro, a Black Friday que acontecerá nesta sexta-feira (27) anima o comércio. Os empresários esperam atrair os consumidores com descontos atrativos dos produtos mais procurados. Porém, uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) revela que, este ano, 44% dos consumidores que pretendem comprar nesse dia pesquisarão se os descontos anunciados são, de fato, reais. 

Os dados mostram ainda que mais da metade dos compradores da Black Friday (54%) pretende identificar as lojas com os melhores preços. No geral, cerca de 35% de todos os entrevistados pretendem comprar na sexta edição do evento no Brasil – para 82% deles, a principal razão da compra é justamente a oportunidade de adquirir produtos com preços mais baixos.

Praticamente metade dos consumidores (49%) afirma não saber se farão compras, mas que caso encontrem boas oportunidades, não as perderão. Mesmo com a crise econômica brasileira, 34% deles pretendem comprar mais produtos neste ano do que em 2014 e 22% pretendem gastar mais. Entre os que pretendem gastar menos (28%), a justificativa é que existem outras prioridades de compra. Já entre os que estão decididos a não comprar no evento ( 16%), a falta de dinheiro e a descrença em relação aos descontos praticados são tidos como os motivos para essa decisão. O SPC Brasil entrevistou 1.794 consumidores de ambos os sexos e acima de 18 anos, de todas as classes sociais nas 27 capitais brasileiras. A margem de erro é de 2,4 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%.


leia também

A China é economia de mercado, quer queiramos ou não - Não podemos imaginar que ganharemos algo confrontando a maior economia do mundo com argumentos frágeis

A China rural não existe mais - A mudança do modelo de crescimento econômico continuará elevando as demandas do país mais populoso do mundo

A luz no final do túnel é um trem chinês - O país de proporções gigantescas mantém a estratégia de crescer

A nova ambição do encantador de clientes - Galló anuncia missão de ser “o maior varejo de moda das Américas”

Acredite: até o lucro da Renner caiu - Clima e recessão fizeram resultado ter queda de 10,5%

Aos 60 anos, Lojas Lebes chega à Santa Catarina - Rede de varejo aposta em estratégia cautelosa para crescer

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: